Imagem de leitura — Nithya Swaminathan

27 01 2020

 

 

Nithya Swaminathan, Reading by the lake IV, ast, 25x25cmLendo à margem do lado IV

Nithya Swaminathan (Índia, contemporânea)

acrílica sobre tela, 25 x 25 cm

 





Gemas da arquitetura carioca: Aqueduto da Carioca ou Arcos da Lapa

27 01 2020

 

 

 

Arcos_da_LapaAqueduto da Carioca, também conhecido como Arcos da Lapa

 

 

Concluído em 1750 com projeto do brigadeiro José Fernandes Pinto Alpoim, esta solução para o problema do fornecimento da água ao centro da cidade, levou meio século para ser construído.  Em alvenaria, apresenta duas fileiras superpostas de arcos romanos.  É uma obra monumental que mudou imediatamente o aspecto da cidade.

 

Arcos_lapa_visto_santa_teresa

Levava as águas do Rio Carioca, nascido no Silvestre, aos tanques e chafarizes que abasteciam a cidade. A estrutura tem 17,6 metros de altura e 270 metros de comprimento, distribuídos em 42 arcos duplos. Vai do morro de Santa Teresa até o Convento das Carmelitas.

 

3756834872_58a40d941f_b

 

Em 1896, outros meios de fornecimento de água para a cidade tendo sido achados, o aqueduto foi convertido em via para bondes servindo o bairro de Santa Tereza.

 

2016,04,05-76d9f

 

Logo construções ilegais preencheram os arcos, seus habitantes confiando no famoso jeitinho carioca, na permanente falta de cuidado com a coisa pública.  A primeira tentativa de acabar com o casario ali instalado foi no governo do Prefeito Pereira Passos (1902-1906).   Depois, em 1960, descobrindo o valor turístico que uma construção deste porte do século XVIII pode ter, o governo voltou a liberar arcos já de novo transformados em moradia.

 

Centro com arcos3

 





Cuidado, quebra! Prato decorativo de Picasso

27 01 2020

 

5e260eef7ff081d641ade153d055e9eb

Jacqueline au chevalet  1956

Pablo Picasso (Espanha, 1881-1973)

Marca com selo numerado

Cerâmica branca pintada e esmaltada.  Diâmetro: 42.3 cm

Projetado e executado em 1956, edição de 200, numerada





Domingo, um passeio no campo!

26 01 2020

 

 

 

DARIO MECATTI. Bananeiras - o.s.t. - os.t. - 30 x 37 cm - assinado no cie. déc. 40.Bananeiras, década 1940

Dario Mecatti (Itália, 1909 – 1976)

óleo sobre tela, 30 x 37 cm





São Paulo, comemorando seu aniversário!

25 01 2020

 

 

 

Marcos Zechetto, SÃO JOÃO COM IPIRANGA - REF. 005. QUADRO PINTADO A OLEO SOBRE TELA ...Avenida São João com Ipiranga

Marcos Zechetto (Brasil, 1949)

óleos sobre tela

 

 

146391Paisagem urbana, s.d.

Takeshi Suzuki (1908-1987) V

óleo sobre tela, 60 X 73 cm

 

 

Jorge Mori (Brasil, 1932) esquina do anhagabaú, sp., 1952, osplaca, 54 x 65,PESP

Esquina do Anhagabaú, SP, 1952

Jorge Mori (Brasil, 1932 – 2018)

óleo sobre placa, 54  x 65 cm

PINA – Pinacoteca do Estado de São Paulo

 

Agostinho Batista de Freitas, Mappin, 78 x 120 cm, óleo sobre tela, 1991Mappin, 1991

Agostinho Batista de Freitas (Brasil, 1927-1997)

óleo sobre tela, 78 x 120 cm

 

I. BORGHESE - Praça D. Pedro II -SP - Abril de 1968Óleo Sobre tela colado sobre Eucatex, Assinado Canto Inferior Direito, Medindo 25,00 x 34,50Praça D. Pedro II, SP, abril de 1968

Innocêncio Borghese (Brasil, 1897- 1985)

óleo sobre tela colada em eucatex,  25 x 34 cm

 

joo-emilio-gerodetti-tecnica-mista-so-paulo-das-motos-

São Paulo das motos, 2015

João Emílio Gerodetti (Brasil, contemporâneo)

técnica mista

 

Adolfo Fonzari, Praça de Azevedo, óleo sobre papelão, 18 X 26 cm PESPPraça de Azevedo

Adolfo Fonzari (Itália/Brasil, 1880-1959)

óleo sobre papelão, 18 x 26 cm

PINA – Pinacoteca do Estado de São Paulo

 

Márcio Schiaz (Brasil,1965)Rua General Carneiro - São Paulo,2004,Óleo sobre tela100 x 70 cmRua General Carneiro – São Paulo, 2004

Márcio Schiaz (Brasil,1965)

óleo sobre tela, 100 x 70 cm





Flores para um sábado perfeito!

25 01 2020

 

 

GILBERTO TROMPOWSKY,(Brasil, 1912-1982)Flores,óleo tela, 1941-44 91 x 72,5 cmFlores, 1941-44

Gilberto Trompowsky (Brasil, 1912-1982)

óleo sobre tela, 91 x 72 cm

 





Para lembrar do que leu

25 01 2020

 

 

 

Chalme, Marc (França.1969-...) Le livre bleuO livro azul

Marc Chalmé (França, 1969)

óleo sobre tela

 

Um artigo interessante em Medium, de Emily Underwood, expõe o que ajuda a memória quando queremos nos lembrar do que lemos.

Não há novidades.  Mas fiquei surpresa de saber que ler na tela eletrônica não oferece vantagem na memorização do que lemos.  Ao contrário a tendência é passarmos os olhos sobre o texto.

O que nos faz memorizar é a leitura ativa:  tomar notas, fazer um desenho, uma linha do tempo, falar com um amigos sobre o que leu.  O que importa é fazer conexões mentais do lido com sua experiência de vida.   Conectar o que se lê com aquilo que já conhecemos.

O bom leitor vai além.  Vai além da emoções e da perspectiva sobre o que leu.  O objetivo  de ler não deve ser a memorização, mas a reflexão sobre o que se lê e a visão que se adquire com aquilo que foi lido.








%d blogueiros gostam disto: