No futuro… texto de William Boyd

31 05 2016

 

 

john a copley (EUA) seedling_jpgPlantando, 2007

John A. Copley (EUA,contemporâneo)

acrílica sobre tela, 20 x 25 cm

www.johnacopley.com

 

 

“Fui até o jardim e fumei um cigarro. Na semana passada, plantei uma árvore no último canteiro do jardim, em homenagem ao nosso bebê. A muda tem a minha altura e, pelo que vejo, pode atingir doze metros de altura. Então, daqui a trinta anos, se ainda estivermos vivos, vou poder voltar aqui e vê-la no esplendor de sua maturidade. Entretanto, a ideia me deprime: daqui a trinta anos estarei na casa dos sessenta e vejo que esses projetos, feitos de forma irrefletida, começam a se extinguir. Vamos supor um período de quarenta anos então. Seria demais. Cinquenta? Eu provavelmente não estarei mais aqui. Sessenta? Morto e enterrado, certamente. Graças a Deus não plantei um carvalho. Seria esse um bom exemplo de limite temporal? O momento em que você percebe — meio racionalmente, meio inconscientemente — que o mundo, num futuro não muito distante, não terá mais você: que as árvores que você plantou continuarão a crescer, mas você não estará aqui para testemunhar isso.”

 

 

Em: As aventuras de um coração humano, William Boyd, Rio de Janeiro, Rocco: 2008, tradução de Antônio E. de Moura Filho, p. 217-18.





Trova do sorriso

31 05 2016

 

a7c9c60ffc12e020b3c78631d3f315ccIlustração da década de 1950.

 

 

O sorriso é flor de sebe,

perfume de resedá.

Anima a quem o recebe,

embeleza a quem o dá.

 

(Nair Starling)





Palavras para lembrar: Padre Antônio Vieira

30 05 2016

 

 

Heinz_Pinggera(Austria, n. 1900- )Poesia, ostPoesia

Heinz Pinggera (Itália, 1900 – ?)

óleo sobre madeira, 31 x 26 cm

 

 

“O livro é um mudo que fala, um surdo que responde, um cego que guia, um morte que vive.”

 

 

Pe. Antônio Vieira





Nossas cidades: Sabará

30 05 2016

 

 

Johann  GRIMM 1846-1887- Vista de Sabará - MG  in TOBINO -2007- p 099aVista panorâmica de Sabará, c. 1885

Johann Grimm (Alemanha, 1846-1887)

óleo sobre tela, 57 x 98 cm

Coleção Fadel





Idílio, poesia de Paulo Setúbal

30 05 2016

 

paquera, walter crane, 1877Ilustração de Walter Crane, 1877.

 

 

Idílio

 

Paulo Setúbal

 

 

“Vamos?” disseste… E eu disse logo: vamos!

Ia no céu, nos pássaros, nos ramos,

Uma alegria esplêndida e sonora;

E tu, abrindo ao sol como uma tenda,

Tua sombrinha de custosa renda,

Partimos ambos pela estrada afora…

 

Com que emoção — recordas? — com que gozo,

Eu vinha te esperar, vibrante e ansioso,

Nessas novenas de plangências cavas.

E como um cavalheiro que se preza,

Timbrava em te levar, depois da reza,

Até ao portão da chácara em que estavas.

 

Certa vez… Vá, não cores desse jeito!

Era de noite. Arfava-nos o peito.

Ardia em nós um lânguido desejo,

Tomei-te as mãos… Sorriste… E aí, num assomo,

As nossas bocas sem sabermos como,

Famintamente uniram-se num beijo!

 

 

Em: Alma cabocla, poesias de Paulo Setúbal, Paulo Setúbal, São Paulo, Ed. Carlos Pereira:s/d, 5ª edição [ Primeira edição foi em 1920]p. 135-136





Imagem de leitura — Bessie MacNicol

29 05 2016

 

 

Bessie MacNicol (Escócia)Elizabeth lendo, 1897

Bessie MacNicol (Escócia, 1869-1907)

óleo sobre tela





Domingo, um passeio no campo!

29 05 2016

 

 

J. BASTOS - Paisagem com casas óleo sobre tela, 33.5X46.5cm.Paisagem com casa

J. Bastos (ativo no estado do Rio de Janeiro, no século XX)

óleo sobre tela, 33 x 46 cm








Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 3.335 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: