Natal — poesia de Celina Ferreira

16 12 2008

nascimento-de-jesus1304-06-afresco-giotto-di-bondonne

Nascimento de Jesus, 1304-1306

Giotto di Bondonne, Florença, 1267 –1337

afresco

Capela Arena, Pádua

 

 

Natal

 

                                          Celina Ferreira

 

 

Cada dia nasce

um novo menino

na palha, na seda,

no feno, no linho.

 

Cada dia nasce

um novo destino

que sempre começa

no mesmo menino.

 

A estrela de cada

natal é a medida

palavra que escapa

em face da vida.

 

Na ficha, a palavra

festiva traduz:

Antônio, Isaías,

Ricardo ou Jesus.

 

 

Em: Poesia cúmplice, Livraria São José:1959, Rio de Janeiro.

 

 

Celina Ferreira — nasceu em Cataguases, Minas Gerais, em 1928. Jornalista, dedicou-se também à literatura infantil.

 

Obras:

 

A princesa Flor-de-Lótus , 1958

Papagaio gaio: poeminhas, 1998

 

Obra poética:

 

Poesia de ninguém, 1954

Poesia cúmplice, 1959

Hoje poemas, 1967

Espelho convexo, 1973

 








%d blogueiros gostam disto: