Imagem de leitura: Arturo Gordon Vargas

31 05 2009

arturo vargas gordon (Chile 1883-1944)

Hora de leitura, s/d

Arturo Gordon Vargas ( Chile, 1883-1944)

Óleo sobre tela

 

Arturo Gordon Vargas, nasceu em Casablanca, nos arredores de Valparaíso em 7 de agosto de 1883.   Primeiro quis estudar arquitetura e se matriculou na Escola de Arquitetura da Universidade do Chile.  Mas logo, até mesmo seus professores o aconselharam a passar para o curso de Bela Artes, onde começou a estudar em 1903.  Foi aluno de Cosame San Martin, Pedro Lira, Álvarez de Sotomayor  e de Juan Francisco González.  Em 1912 fez o curso de muralista com José Backhaus.   Participou da chamada Geração dos Treze.  Especializou-se nas pinturas de gênero, em cenas e costumes urbanos, no retrato de festas populares e religiosas.  Foi professor da Academia de Belas Artes em Viña del Mar  de 1936 a 1944.  Faleceu em Santiago a 27 de outubro do mesmo ano.





Software ajuda na reconstrução de instrumento musical

30 05 2009

lituus1Músicos testam os intrumentos tocando Bach.

 

Um trompete bem longo de 240cm de comprimento, como o instrumento que existia na antiga Roma, [Litus]  mas que deixou de ser tocado desde do século XVIII; foi recriado com o auxílio de um software desenvolvido por cientistas do Conselho de Pesquisas de Engenharia e Ciências Físicas  associados a pesquisadores da Universidade de  Edimburgo, na Grã Bretanha.  A equipe colaborou no projeto de recriar este instrumento desenvolvendo um sistema que lhes permitiu fazer um desenho resgatando imagens antigas e desenhos mais modernos de modo que o resultado envolvesse as melhores representações de sua forma.  Até o momento, ninguém tinha uma boa idéia de como este longo trompete funcionava, e que som produziria.  Johann Sebastian Bach foi um dos últimos compositores a compor para este instrumento.

 

Softwares que permitam fazer a modelagem informática de instrumentos musicais poderão vir a ter um papel importante no futuro, pois entre outras coisas poderão dar a possibilidade de ajustarem  instrumentos de metal , de sopro, às necessidades de cada músico, individualmente. Podendo mesmo modelar cada um desses  instrumentos às diferentes necessidades de campos musicais, como instrumentos para uso em jazz, em orquestras clássicas ou qualquer outro fim.

 

Para o artigo completo de Pallab Ghosh, correspondente de Ciências :  BBC





Orion lançado com sucesso de Alcântara

30 05 2009

foguete hergéIlustração: Hergé

 

O Brasil lançou nesta sexta-feira um foguete de treinamento no Centro de Lançamento de Alcântara (CLA), no Maranhão, após uma lacuna de quase dois anos. A missão, chamada de Maracati I, é uma parceira entre o Brasil e a Alemanha para teste operacional.

“O objetivo é fazer treinamento do Centro de Lançamento de Alcântara”, disse o coordenador do lançamento, coronel João Cesarino Siqueira. O lançamento ocorreu às 16h25 e, de acordo com o CLA, foi um “sucesso total”.

O foguete Orion, de 5,7 m, pode atingir velocidade de 4,7 mil km por hora, quatro vezes a velocidade do som. Nesta missão, o foguete foi equipado com instrumentos de rastreamento de voo e caiu em alto mar, a cerca de 80 km da costa, após atingir uma altura de 93 km.

O último lançamento realizado em Alcântara foi em julho de 2007. A missão com um Veículo de Sondagem ao Espaço (VSB-30) foi considerada um sucesso pela Agência Espacial Brasileira, mas parte dos experimentos não pode ser recuperada. Para 2009, estão previstos mais três lançamentos no CLA, em julho, setembro e novembro, mas somente em um deles o VSB-30 deverá decolar com novos experimentos.

O programa espacial brasileiro foi criado em 1961 mas até agora foi incapaz de lançar um foguete que levasse um satélite ao espaço. Em agosto de 2003, uma explosão destruiu o Veículo Lançador de Satélite (VLS) três dias antes de seu lançamento, matando 21 pessoas. O acidente foi causado pela ignição prematura de um dos motores do foguete que deveria colocar dois satélites em órbita.

O próximo lançamento do VLS está programado para 2010. Antes da explosão, o Brasil havia tentado lançar um foguete próprio em 1997 e 1999. Em ambas as vezes, os foguetes foram destruídos pouco após o lançamento por problemas técnicos.

Com o lançamento de um foguete próprio, o Brasil se tornaria o primeiro país com tecnologia espacial da América Latina. O Centro de Lançamento de Alcântara é a base mais próxima da linha do Equador já construída, o que permite aos foguetes lançados o uso de menos combustível para entrar em órbita e o carregamento de cargas maiores, já que contam com as forças centrífugas da Terra.

 

FONTE: REUTERS através da UOL





Boas maneiras XIII

30 05 2009

obrigadoAgradeça pelo presente.

Quem deu… fica contente!





Machado de Assis vence e Moacyr Scliar surpreende

29 05 2009

machado-bernadelli_1905

Retrato de Machado de Assis, 1905

Henrique Bernardelli ( Brasil, 1858 – 1936)

Óleo sobre tela

Academia Brasileira de Letras, RJ

 

O Jornal do Comércio  publicou hoje um interessante artigo do jornalista Antonio Gonçalves Filho sobre os escritores brasileiros mais citados  por 55 tradutores, professores e bibliotecários  de 19 diferentes países.  E para surpresa dos organizadores do projeto, “Conexões Itaú Cultural – Mapeamento Internacional da Literatura Brasileira”, que encomendou a pesquisa, contrário à expectativa de que Paulo Coelho seria o escritor contemporâneo mais citado, foi o gaúcho Moacyr Scliar, quem surpreendeu. 

 

Como o artigo demonstra, esta não é só uma lista dos dez mais. Ela incorpora todos os autores citados mais de uma vez pelos tradutores e professores de português em universidades estrangeiras, trazendo nomes recém traduzidos para o inglês, caso do escritor e redator-chefe da revista “Veja”, Mário Sabino, autor de “O Dia em Que Matei Meu Pai”, que recebeu uma entusiasmada crítica na Austrália.

 

Os dez escritores mais citados pelos especialistas estrangeiros consultados na pesquisa realizada pelo Itaú Cultural são os seguintes:

 

1-      Machado de Assis

2-      Clarice Lispector

3-      Guimarães Rosa

4-      Graciliano Ramos

5-      Jorge Amado

6-      José de Alencar

7-      Manuel Bandeira

8-      Moacyr Scliar

9-      Rubem Fonseca

10-  Drummond de Andrade.

 

Em: Jornal do Comércio, Sexta-feira e fim-de-semana 29-30-31 de maio, Caderno C, página 5.





Um planeta de gás 6 vezes o tamanho de Júpiter!

29 05 2009

novo planeta de gases 6 x maior que jupiter

 Desenho artístico baseado em descobertas científicas.

 

A descoberta de um novo exoplaneta por astônomos da NASA foi uma notícia de grande interesse nesta última semana.  Para descobri-lo, os especialistas utilizaram um método desenvolvido há mais de 50 anos chamado astrometria, ramo da astronomia que trata das medidas dos corpos celestes.  Mas até agora o método não havia tido sucesso.  Finalmente, esta foi a vez me que a mágica funcionou:  finalmente a astrometria provou a que veio.  A técnica procura por novos exoplanetas – corpos que giram em torno de uma estrela (como a Terra ao redor do Sol) – em outros sistemas solares. Até o momento, foram encontrados mais de 347 planetas em 243 estrelas.

O planeta em questão possui uma massa seis vezes superior à de Júpiter e fica a 20 anos-luz da Terra, na constelação de Aquila, informou nesta quinta-feira o Laboratório de Propulsão a Jato (JPL). O gigante gasoso VB 10b pode ser um planeta frio porque orbita consideravelmente longe de sua estrela, de acordo com os cientistas.

 B-VB10b_diagram-500

 Desenho artístico baseado em descobertas científicas.

 A astrometria consiste basicamente em medir precisamente os movimentos de uma estrela junto à influência gravitacional de planetas que ainda não foram observados. O método requer medições exatas durante longos períodos de tempo.  O sucesso veio com a descoberta desse planeta gasoso:  VB 10b que gira em torno de uma estrela bem pequena.  Todos os corpos do diagrama estão desenhados em escalas de tamanho relativas.

O sistema de que o planeta VB10b faz parte é o menor sistema estelar a ter um planeta em órbita.  Sua estrela é uma anã-M  — VB10 — que tem só 1/10 do tamanho e 1/12 de massa do nosso sol.  O seu planeta, no entanto é bem grandinho: 6 vezes maior que Júpiter.   O sistema VB10 é essencialmente uma versão menor do nosso sistema solar.  Apesar de seu planeta estar numa distância semelhante à distancia em que Mercúrio se acha do nosso sol,  ele não recebe tanto calor e poderia ser classificado como um Júpiter frio  se o compararmos ao nosso próprio sistema.  Se algum planeta rochoso orbitar no sistema VB10 estará localizado bem mais próximo do centro do que o planeta VB10b e poderá estar numa zona habitável – ou seja – uma região onde as temperaturas são boas para a água permanecer no estado líquido.

 Segundo o autor das observações, Steven Pravdo, do JPL, a técnica usada, astrometria, é ótima para encontrar configurações similares às do Sistema Solar conhecido, podendo haver outros planetas com características como às da Terra. Pravdo explicou que o planeta parecido com Júpiter relativamente possui quase a mesma distância do original. “A diferença é que orbita em torno de uma estrela muito menor”, afirmou.

O pesquisador também sugeriu a possibilidade de existência de planetas rochosos, como a Terra, em torno da estrela do VB 10b.

 

Fontes:

Centauri Dreams

Planet Quest-Nasa

Terra Notícias





Brasil que lê: fotografia tirada em lugar público

29 05 2009

Brasileiro lendo 1591

Copacabana, Rio de Janeiro.








%d blogueiros gostam disto: