Matar aula? Não mais…

8 08 2009

sonecaIlustração Maurício de Sousa.

 

As instituições de ensino de todo o País estão obrigadas a partir de hoje a passar informações escolares aos pais, segundo lei publicada no Diário Oficial da União (DOU).

De acordo com a alteração no Artigo 12, da Lei no 9.394, de 20 de dezembro de 1996, as escolas são obrigadas a informar o pai e a mãe e, se for o caso, os responsáveis legais pelo estudante, sobre a frequência e rendimento dos alunos, bem como sobre a execução da proposta pedagógica da escola.

 A lei foi sancionada dia 6 de agôsto  pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

 

Fonte: ESTADÂO





Em caminho, poesia de Zalina Rolim para o dia dos pais

8 08 2009

 plantanto na fazendo cg 1939

 Capa de revista, 1939

EM CAMINHO

 

                                                 Zalina Rolim

 

 

SOU filha de lavradores;

Moro longe da cidade;

Amo os pássaros e as flores

E tenho oito anos de idade.

 

Quereis seguir-me à campina?

A tarde convida e chama,

O calor do sol declina,

E o horizonte é um panorama.

 

Neste samburá de vime

Levo coisa apetitosa;

mas, ai! que ninguém se anime

A meter-lhe a mão curiosa.

 

É o jantar do papaizinho;

Manjares de fino gosto;

Carne, legumes, toucinho,

Tudo fresco e bem disposto.

 

Papai trabalha na roça;

O dia inteiro labuta;

Tem a pele rija e grossa

E a alma afeita à luta.

 

Mas leal, franco, modesto

Como ele, não há no mundo:

Vive de trabalho honesto,

Cavando o solo fecundo.

 

Acorda ao nascer da aurora,

Abre a janela de manso,

E o campo e os ares explora

Da vista aguda num lanço.

 

Depois, nos ombros a enxada,

Abraça a Mamãe, sorrindo,

Beija-me a face rosada

E vai-se ao labor infindo.

 

Em casa também se lida

Daqui, dali, todo o instante,

Que o trabalho é lei da vida

E nada tem de humilhante.

 

Depois do trabalho, estudo;

Abro os meus livros e leio;

Eles me falam de tudo

O que eu desejo e receio.

 

Contam-me histórias bonitas,

Falam da terra e dos ares,

De vastidões infinitas,

De rios, campos e mares.

 

Mamãe diz que são modelos

De amigos leais e finos;

Que a gente deve atendê-los

Como aos maternais ensinos.

 

E agora, adeus, até breve.

Eis-me de novo a caminho:

Não esfrie o vento leve

O jantar do papaizinho.

 

 

Maria Zalina Rolim Xavier de Toledo — nasceu em Botucatu (SP), em 20 de julho de 1869.

Professora alfabetizadora transferiu-se com a família para São Paulo em 1893.

Educadora, entre 1896 e 1897, exerceu o cargo de vice-inspetora, do Jardim da Infância anexo à Escola Normal Caetano de Campos, em São Paulo.

Escreveu para diversas revistas femininas e jornais como A Mensageira, O Itapetininga, Correio Paulistano e A Província de São Paulo.

Faleceu em São Paulo, em 24 de junho de 1961.

 

Obras:

1893 – O coração

1897 – Livro das Crianças

1903 – Livro da saudade (organizado nesta data para publicação póstuma)





Na China, crianças são incentivadas com base nos resultados de exame de DNA

8 08 2009

chinesinho, cartão postal, 1930s

 

Durante um retiro de verão de cinco dias, crianças chinesas,  participando de um programa no Palácio das Crianças Chongqin. estarão sendo observadas e comparadas com seus testes de DNA, para orientar os pais na identificação de aptidões genéticas que mereceriam maior atenção por parte da família.

 

30 crianças de 3 a 12 anos de idade fazem parte do programa que custa USD $ 880,00 [oitocentos e oitenta dólares].   As amostras de DNA são coletadas da saliva, da mucosa no interior da bochecha e os testes são feitos com base em 11 genes.   Do material coletado, os cientistas envolvidos, podem fornecer informações sobre o QI das crianças, sobre a memória, habilidade  atlética e mais.

 

A China comemora ser o primeiro país a usar exames de DNA para descobrir dons genéticos ao invés de descobrir a herança ou tendência a doenças.  Chen Zhongyan, que tem uma menina de 4 anos no programa no Palácio Chongqin disse à CNN que acha “melhor desenvolver os talentos de sua filha o mais cedo possível”.  

 

Nos Estados Unidos, a preferência é diferente: a tendência é que pais venham a solicitar traços específicos para as crianças que irão ter, selecionando DNA embriônico para futuro implante no útero, como articulou Jeffrey Steinberg diretor no centro dos Institutos de Fertilidade.  No momento não há leis nos Estados Unidos contra a utilização de “designer babies” por informação genética; tampouco existe  regulamentação contra a seleção de futuras tendências em educação, ou hobbies para as crianças que virão a nascer.  

 

FONTE: 60-second-science








%d blogueiros gostam disto: