Imagem de leitura — Arnaldo Sinatti

12 12 2009

Romance na praia, s/d

Arnaldo Sinatti (Brasil, 1935-1999)

óleo sobre tela, 27 x 19 cm





Decoração natalina — São Paulo

12 12 2009

 

—–

Um endereço que se torna um famoso ponto turístico no bairro do Ipiranga e a decoração natalina na Rua Angaturama, nº 799 (paralela a avenida Nossa Senhora das Mercês). Há 10 anos, a moradora Rosana Mancuso do Espirito Santo e família enfeitam, de maneira artesanalmente, a casa e o jardim com criatividade para celebrar a chegada do Natal. A novidade deste ano e o Papai Noel com trenó motorizado. 10/12/2009 Foto: Andre Dusicska/FotoRepórter/AE

—–

FONTE: Estadao





Quadrinha da noite de Natal

12 12 2009

Noite de Natal.

Cartão Postal, década de 20, século XX.

—-

Há sussurros pelo espaço…
Na terra há luz e cristal,
quando a noite estende o braço,
proclamando que é Natal!

(Cidoca da Silva Velho)





Filhotes fofos: orangotango Menari

12 12 2009

Jennifer Zdon / The Times-Picayune

A fofa menina orangotango nasceu na Sociedade Audubon nos Estados Unidos e aos 3 meses de idade mostra ser uma grande brincalhona, pronta para se divertir e divertir o público.  Seu nome, Menari, quer dizer DANÇA na língua de sua terra nativa, Indonésia.  Menari é um orangotango cuja espécie, original da Sumatra, está em perigo de extinção.





Novo dinossauro, Tawa hallae

12 12 2009

Uma nova espécie de dinossauro foi encontrada no estado de Novo México, Estados Unidos da América.   Os fósseis revelaram que os dinossauros carnívoros habitavam o planeta há 230 milhões de anos.   O estudo agora publicado na revista «Science» vem também apoiar a hipótese de que os estes antigos senhores da Terra apareceram originalmente no território que hoje ocupa a América do Sul e que pouco depois se dispersaram pelo resto do mundo, que na época era um só continente, a Pangeia.
A  imagem acima mostra a reprodução de um novo dinossauro, chamado “Tawa hallae”, que viveu no período triásico.
—-
Sterling Nesbitt, investigador da Universidade do Texas, liderou a equipe que estudou o esqueleto praticamente completo deste dinossauro que media 70 centímetros de altura e dois metros de comprimento, do focinho à cauda.

A descoberta desta espécie, batizada como Tawa hallae (em homenagem aos indígenas sul-americanos Hopi que chamam Tawa ao seu deus do Sol) preenche uma lacuna de ligação entre o grupo de grandes carnívoros do período Jurássico, os terópodos Tiranossauro rex e o velociraptor, e os seus ancestrais, como o herrerassauro.

As duas espécies – o Tawa e o herrerassauro – compartilham muitos traços, especialmente em relação à morfologia da cintura. No entanto, o Tawa tem características dos terópodos que não existem no herrerassauro, como bolsas de ar localizadas ao longo da espinha dorsal.  Quando a espécie evoluiu para os neoterópodes do período Jurássico, foram mantidas algumas características comuns a todas as espécies, como as grandes mandíbulas, dentes de carnívoros e alguns traços pélvicos.

Os fósseis, encontrados em 2004 na zona de Ghost Ranch, oferecem também pistas de como estes animais se dispersaram pelo planeta.   Há mais de 200 milhões de anos, no período Triásico, os dinossauros viviam no supercontinente Pangeia que mais tarde se fragmentou para dar origem aos continentes tais como hoje são conhecidos.

Os investigadores acreditam que os grandes grupos dos primeiros dinossauros puderam passar para a parte da Pangeia, que se tornou a América do Norte, no fim do período Triásico. Por alguma razão, apenas os carnívoros se adaptaram ao clima norte-americano.

Artigo: A Complete Skeleton of a Late Triassic Saurischian and the Early Evolution of Dinosaurs

 FONTE:  CIÊNCIA HOJE, PORTUGAL








%d blogueiros gostam disto: