E afinal, qual é mesmo a sua grande ideia?

2 06 2010

 

Pato Donald tem uma ideia brilhante!  Ilustração Walt Disney.

 

Foi Platão quem primeiro fez a analogia entre a luz e uma idéia.  Desde então idéias podem ser más, boas, mas sempre eletrizantes nas mãos dos artista gráficos.  Estes sim são sempre brilhantes!

 A associação da luz com uma nova idéia, auxiliando a solução de um problema tem-nos fascinado desde a antiguidade e acompanhado até os dias de hoje.   Parece que agora estamos um passo adiante:  o psicólogo social Michael Slepian, trabalhando na Universidade Tufts, nos EUA, publicou no Journal of Experimental Social Psychology os resultados de sua pesquisa que avaliava se a presença de uma lâmpada, isso mesmo, da lâmpada em si, aquele objeto pelo qual passa a eletricidade, poderia ter um papel significativo como auxiliar de novas idéias. 

Cascão tem uma ideia simples.  Ilustração Maurício de Sousa.

E não é que pode?   

Parece que as lâmpadas podem de fato ajudar uma pessoa a ter uma intuição na resolução de um problema.  Uma lâmpada agiria como um estímulo à imaginação.   Apesar de a intuição ser um fenômeno bastante conhecido e muito estudado, ainda é uma capacidade humana completamente misteriosa para os cientistas.  E o que Michael Slepian apurou é que a “idéia da lâmpada” trabalha no nosso inconsciente de tal maneira que realmente associamos o objeto à clareza de pensamento.  Ela nos dá uma maior tendência de descobrir novos ângulos de um problema, de resolver uma questão de maneira mais criativa.  A pesquisa tenta documentar os sinais sutis que podem influenciar o nosso comportamento.  [Para maiores detalhes sobre a pesquisa de Michael Slepian, por favor clique  AQUI e AQUI.]

 Não me cabe julgar os méritos de sua pesquisa.  Mas reconheço que a imagem de uma lâmpada está a tal ponto associada ao surgimento de uma idéia que expressões inteiras podem ser substituídas pela lâmpada ou por sua imagem modificada.  E é uma comunicação popular e eficiente.  Tão emblemática quanto,  nos últimos 40 anos, o coração vermelho veio a ser para o verbo amar: por exemplo, a expressão “ eu amo ler”, pode ser também escrita: eu + [imagem de um coração]+ ler, sem qualquer perda de significado.

 —

Aqui, então um  grupo de imagens que poderiam levar o nome:  arte gráfica da idéia brilhante. 

Professor Pardal e seu auxiliar Lampadinha, ilustração Walt Disney.

Mesmo sem idéias, o Professor Pardal é acompanhado por sua lampadinha que continua a trabalhar.  Foi justamente com o Professor Pardal que conheci a primeira associação de lâmpada com idéia, e para mim, a conexão entre esses dois é tão perfeita que o inventor Pardal não existe no meu imaginário seu seu ajudante Lampadinha. 

Zé Carioca tem uma idéia luminosa!  Ilustração Walt Disney.

Quem percebeu que a ideia luminosa de Zé Carioca é representada por uma lâmpada na forma de pena?  Ela poderia fazilmente, se colorida de verde, se inserir no seu topete. É ou não brilhante?

O Palhacinho Alegria, Ilustração Editora Abril.

O palhacinho Alegria só poderia ter uma idéia engraçada, e ela vem de chapéu de palhaço igual ao dono!

Pato Donald, ilustração de Walt Disney.

O Pato Donald deveria ser brasileiro, porque certamente não desiste nunca.  E  continua a ter idéias duplamente valiosas, apesar de nós sabermos, de antemão, os resultados da maioria dos seus empreendimentos!

Do Contra tem uma idéia característica.  Ilustração Maurício de Sousa.

Uma ideia contrária só poderia ser expressada dessa maneira, é ou não é?  Brilhante!

Chico Bento, ilustração Maurício de Sousa.

Chico Bento tem uma ideia antiga.  Uma ideia de outros tempos…  Talvez uma idéia interiorana, caipira? 

Piteco tem uma ideia, ilustração Maurício de Sousa.

Piteco, o homem das cavernas tem uma ideia de  acordo com os seus tempos, nem poderia ser diferente.  Será que elas seriam tão brilhantes quanto as de raio laser?

——–

Ilustração Maurício de Sousa.

—-

E os animais pensam da mesma forma que nós….  Mas isso nós já sabíamos!

A verdade é que nenhuma dessas imagens poderia ter sido entendida por nós se a representação de uma ideia ( brilhante ou não) já não estivesse bem enraizada no nosso inconsciente.  A imagem, então, de uma lâmpada, funciona como um ideograma, em que diferentes contextos mudam de acordo com as diferenças no mesmo tema.  A lâmpada, o faixo de luz, está tão enraizada no nosso inconsciente que pensamentos mais complexos ainda do que uma imagem de uma história em quadrinhos estão nos dias de hoje sendo transmitidas com uma simplicidade invejável:

—-

Uma idéia rentável, vendável, lucrativa…

Uma idéia de destaque, única entre outras…

—-

Uma nova idéia…

—-

Uma ideia verde, uma ideia ecológica …

E afinal, qual é mesmo a sua grande ideia? 

Ações

Informação

4 respostas

25 01 2013
Cultura Caipira Blog

Olá! Gostei do artigo, e usamos sua imagem do Chico Bento para ilustrar nossa campanha por mais curtidas em nossa página do Facebook:

http://www.facebook.com/photo.php?fbid=484881838225441&set=a.353312994715660.80386.333018270078466&type=1

Obrigado!

27 05 2013
Isis Vidal

Olá,
Gostaria de saber de quem são os créditos da imagem da lâmpada que indica uma ideia verde, uma ideia ecológica? Eu gostaria de utilizá-la.
Poderia me responder por e-mail?
Desde já muito obrigada!

27 05 2013
peregrinacultural

Isis, a imagem eu encontrei na internet sem qualquer associação de direitos autorais…

13 02 2014
Isis

Obrigada!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 1.827 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: