Filhote fofo — sagui bigodeiro

31 10 2010

Gêmeos de sagui bigodeiro nasceram nesta quinta-feira, 28, no zoológico de Hanover, na Alemanha. Na imagem, o pai, Fritz, carrega ambos dentro de sua área no zoo. 

O sagui bigodeiro é uma espécie brasileira, da Amazônia. Vive, em média, 15 anos e chega a pesar, no máximo, 900 g. Corre risco de extinção principalmente por causa do tráfico de animais, além da destruição de seu habitat.

Fonte: Terra





Imagem de leitura — Isolda

31 10 2010

 

Anoitecer com lampadário, s/d

Isolda [ Hermes da Fonseca Chapman] ( Brasil, 1924-2004)

óleo sobre eucatex, 48 x 68 cm

Coleção Particular

 

Isolda Hermes da Fonseca Chapman (Rio de Janeiro RJ 1924 — 2004). Pintora, ilustradora. estuda na Corcoran School of Art e no Art Students League, em Nova York e funda a Galeria Artists Cooperative, em Washington, Estados Unidos, entre 1947 e 1949. Neste mesmo ano, viaja para a Itália, onde é aluna da Academia de Belas Artes de Florença. De volta ao Brasil, estuda com Chamberlain e realiza ilustrações para os jornais Correio da Manhã e O Globo, no Rio de Janeiro.





Com o Brasil na cabeça…

30 10 2010

Com o Brasil na cabeça…

[variação sobre o quadro do pintor espanhol]

O ouro do azul, 1967

Juan Miró (Espanha, 1893 – 1983)

óleo sobre tela

Fundação Juan Miró, Barcelona





Carta da escritora Ruth Rocha à candidata Dilma Rousseff

28 10 2010

Faço das palavras da escritora Ruth Rocha, as minhas próprias palavras.

 

“Carta à candidata Dilma.

Meu nome foi incluído no manifesto de intelectuais em seu apoio.  Eu não a apoio.  Incluir meu nome naquele manifesto é um desaforo!  Mesmo que a apoiasse, não fui consultada. Seria um desaforo da mesma forma.  Os mais distraídos dirão que, na correria de uma campanha….“acontece”.   Acontece mas não pode acontecer.  Na verdade esse tipo de descuido revela duas coisas: falta de educação e a porção autoritária cada vez mais visível no PT.  Um grupo dominante dentro do partido que quer vencer a qualquer custo e por qualquer meio.

Acho que todos sabem do que estou falando.

O PT surgiu com o bom sonho de dar voz aos trabalhadores  mas embriagou-se com os vapores do poder.  O partido dos princípios tornou-se o partido do pragmatismo total.  Essa transformação teve um “abracadabra” na miserável história do mensalão.  Na época o máximo que saiu doa lábios desmoralizados de suas lideranças foi um débil “os outros também fazem…”.  De lá para cá foi um Deus nos acuda!

Pena. O PT ainda não entendeu o seu papel na redemocratização brasileira.  Desde a retomada da democracia no meio da década de 80 o Brasil vem melhorando; mesmo governos contestados como os de Sarney e Collor (estes, sim, apóiam a sua candidatura) trouxeram contribuições para a reconstrução nacional após o desastre da ditadura.

Com o Plano Cruzado, Sarney tentou desatar o nó de uma inflação que parecia não ter fim.  Não deu certo mas os erros do Plano Cruzado ensinaram os planos posteriores cujos erros ensinaram os formuladores do Plano Real.  

É incrível mas até Collor ajudou.  A abertura da economia brasileira, mesmo que atabalhoada, colocou na sala de visitas uma questão geralmente (mal) tratada na cozinha. 

O enigmático Itamar, vice de Collor, escreveu seu nome na história econômica ao presidir o início do Plano Real.  Foi sucedido por FHC, o presidente que preparou o país para a vida democrática.  FHC errou aqui e ali.  Mas acertou de  monte.  Implantou o Real, desmontou os escombros dos bancos estaduais falidos, criou formas de controle social como a lei de responsabilidade fiscal, socializou a oferta de escola para as crianças.  Queira o presidente Lula ou não foi com FHC que o mundo começou a perceber uma transformação no Brasil. 

E veio Lula.  Seu maior acerto contrariou a descrença da academia aos planos populistas.  Lula transformou os planos distributivistas do governo FHC no retumbante Bolsa Família.  Os resultados forma evidentes.  Apesar de seu populismo descarado, o fato é que uma camada enorme da população foi trazida a um patamar mínimo de vida.

Não me cabem considerações próprias e estudiosas em geral, jornalistas, economistas, ou cientistas políticos.  Meu discurso é outro: é a democracia que permite a transformação do país.  A dinâmica democrática favorece a mudança das prioridades.  Todos os indicadores sociais melhoraram com a democracia.  Não o Lula quem fez.  Votando, denunciando e cobrando, foi a sociedade brasileira, usando as ferramentas da democracia, quem está empurrando o país para a frente.  O PT tem a ver com isso.  O PSDB também tem assim como todos os cidadãos brasileiros.  Mas não foi o PT quem fez, nem Lula, muito menos a Dilma.  Foi a democracia, foram os presidentes desta fase da vida brasileira.  Cada um com seus méritos e deméritos.  Hoje eu penso como deva ser tratada a nossa democracia. Pensei em três pontos principais.

1)      desprezo ao culto à personalidade;

2)      promoção da rotação do poder; nossos partidos tendem ao fisiologismo. O PT então…

3)      escolher quem entenda ser a educação a maior prioridade nacional.

Por falar em educação.  Por favor, risque meu nome do seu caderno.

Meu voto não vai para Dilma.”  

 

FONTE:  Jornal O GLOBO





Troca-se um homem-aranha, poesia infantil de Roseana Murray

26 10 2010

Ilustração:  Homem aranha lendo, da campanha de leitura “Sem inspiração, sem futuro”, Marvel.

Troca-se um homem-aranha

Troca-se um homem-aranha de mentira

por uma aranha de verdade.

Uma aranha competente

que teça belas teias transparentes,

que pegue moscas, mosquitos

e não entenda nada de bandidos.

Uma aranha que seja

uma aranha simplesmente.

Em: Classificados Poéticos, Roseana Murray, Belo Horizonte, Migulim:1998 — 17ª edição.

 

Roseana Murray nasceu no Rio de Janeiro em 1950. Graduou-se em Literatura e Língua Francesa em 1973 (Universidade de Nancy/ Aliança Francesa).

Obras:

Poesia para crianças e jovens

Fábrica de Poesia, ed. Scipionne, 2008

Poemas e Comidinhas, com o Chef André Murray, ed. Paulus, S.P, 2008

Residência no Ar, ed. Paulus, 2007

No Cais do primeiro Amor, ed. Larousse, 2007

Desertos, ed. Objetiva, 2006. ( Finalista do Prêmio Jabuti ) – Altamente Recomedável FNLIJ, 2006

O traço e a traça ed. Scpionne, 2006.

O xale azul da sereia, ed. Larrousse, 2006.

O que cabe no bolso? ed. DCL, 2006.

Paisagens, ed. Lê, 2006.

Pêra, uva ou maçã ed. Scipione, 2005. (Catálogo de Bolonha 2006 e Acervo Básico, F.N.L.I.J).

Rios da Alegria, ed. Moderna, 2005. (Altamente Recomendável, F.N.L.I.J).

Poemas de Céu ed. Miguilim, 2005. (Antigo “Lições de Astronomia”).

Maria Fumaça Cheia de Graça, ed. Larousse, 2005.

Duas Amigas, ed. Paulus, 2005 (reedição).

Lua Cheia Amarela, ed. Dimensão 2004.

Caixinha de Música, ed. Manati, 2004. (Catálogo de Bolonha 2005)

Um Gato Marinheiro, ed. DCL, 2004.

Todas as Cores Dentro do Branco, ed. Nova Fronteira, 2004.

Recados do Corpo e da Alma, ed. FTD, 2003. (Altamente Recomendável F.N.L.I.J)

Luna, Merlin e Outros Habitantes, ed. Miguilim/ Ibeppe, 2002. (Altamente Recomendável, F.N.L.I.J. )

Jardins, ed. Manati, 2001. (Prêmio Academia Brasileira de Letras de Literatura Infantil 2002. )

Caminhos da Magia, ed. DCL, 2001.

Manual da Delicadeza, ed. FTD, 2001.

O Silêncio dos Descobrimentos,  com Elvira Vigna, ed. Paulus, 2000.

Receitas de Olhar, ed. F.T.D, 1997, ( Prêmio O Melhor de Poesia, F.N.L.I.J. )

Carona no Jipe, ed. Memórias Futuras, 1994 e ed. Salamandra, 2006

No final do Arco-Íris, ed. José Olímpio, 1994.

O Mar e os Sonhos, ed. Miguilim,1996, (Altamente Recomendável para a Criança, F.N.L.I.J. )

Paisagens, ed. Lê, 1996.

Felicidade, ed. F.T.D, 1995, (Altamente Recomendável  para a Criança, F.N.L.I.J. )

De que riem os palhaços ed. Memórias Futuras, 1995. Esgotado

Tantos Medos e Outras Coragens, ed. F.T.D, 1994 ( Prêmio O Melhor de Poesia F.N.L.I.J e Lista de Honra do I.B.B.Y. ) Reedição com novas ilustrações em 2007

Qual a Palavra? ed. Nova Fronteira, 1994.

Casas, ed. Formato, 1994. Editado no México, ed. Alfaguara

Dia e Noite, ed. Memórias Futuras, 1994. Esgotado

Artes e Ofícios, ed. F.T.D, 1990, (Prêmio A.P.C.A. e Altamente Recomendável para a Criança, F.N.L.I.J. ) Reedição com novas ilustrações em 2007

Falando de Pássaros e Gatos, editora Paulus, 1987.

Fruta no Ponto, ed. F.T.D, 1986. (Prêmio O Melhor de Poesia. F.N.L.I.J.

Fardo de Carinho, ed. Murinho, 1980 e ed. Lê, 1985.

O Circo, ed. Miguilim/ Ibeppe, 1985.

Lições de Astronomia, ed. Memórias Futuras, 1985. Esgotado

Classificados Poéticos, ed. Miguilim/ Ibeppe, 1984, (Altamente Recomendável para a Criança, F.N.L.I.J, e finalista do Prêmio Bienal. )

No Mundo da Lua, ed. Miguilim/ Ibeppe, 1983.

Contos para crianças e jovens

Território de Sonhos, ed. Rocco, Altamente Recomendável FNLIJ, 2006.

Sete Sonhos e um Amigo, ed. FTD, 2004.

Pequenos Contos de Leves Assombros, ed. Quinteto, 2003.

Um Avô e seu Neto, ed. Moderna, 2000.

Terremoto Furacão ed. Paulus, 2000.

Um cachorro para Maya, ed Salamandra, 2000.

Uma História de Fadas e Elfos, ed. Miguilim / Ibeppe, 1998, (Acervo Básico da F.N.L.I.J – criança ).

Três Velhinhas tão velhinhas, ed. Miguilim / Ibeppe, 1996

O Fio da Meada, ed. Memórias Futuras, 1994. Ed. Paulus, 2002

Retratos, ed. Miguilim/ Ibeppe, 1990, Altamente Recomendável para a Criança, F.N.L.I.J. )

O Buraco no Céu ed. Memórias Futuras, 1989.

Poesia

Variações sobre Silêncio e Cordas, com desenhos de Elvira Vigna. E-BOOK, edição artesanal Maurício Rosa, Visconde de Mauá, maio de 2008.

Poesia essencial, ed. Manati, 2002.

15 poemas no livro Um Deus para Dois Mil, de Juan Arias, ed. Vozes (em seis línguas) 1999.

Caravana, inédito, vencedor do Concurso Cidade de Belo Horizonte, 1994.

Pássaros do Absurdo, ed. Tchê ,1990, vencedor do Concurso da Associação Gaúcha de Escritores.

Paredes Vazadas, ed. Memórias Futuras, 1988. Esgotado

Viagens , ed. memórias Futuras, 1984.

Revista Poesia Sempre.

Revista Microfisuras, Espanha

Correspondência

Porta a porta, com Suzana Vargas, ed. Saraiva, 1998, ?Acervo Básico da F.N.L.I.J – jovem).





Imagem de leitura — Charles James Adams

25 10 2010

Menino lendo [ o filho do pintor]

Charles James Adams ( Inglaterra 1859-1931)

Óleo sobre tela

Charles James Adams nasceu na Inglaterra em 1859.  Foi um pintor que hoje é principalmente conhecido como paisagista, mas que também se dedicou ao retrato, à pintura de animais, de G~enero e à pintura histórica.  Estudou com W. Pilsbury e também na Leicester School of Art.   Viveu e trabalhou em Londres, Leicester e Surrey.  Dedicou-se a litografias no início de sua carreira, dedicou-se também às aquarelas, mas a grande parte de seu trabalho é em óleo.  Seus trabalhos podem ser encontrados na Brighton Art Gallery e na Leicestershire Art Gallery.





Um milhão e meio de acessos! Obrigada!

25 10 2010

Hoje passamos de:

 1.500.000

de acessos a este blog.

Obrigadíssima!








%d blogueiros gostam disto: