Pano da costa, poesia de Wilson W. Rodrigues

20 11 2010

Baianas, 1979

Armando Romanelli ( Brasil, 1945)

Óleo sobre tela colado em eucatex, 20 x 20 cm

Coleção Particular

Pano da Costa

                                  Wilson W. Rodrigues

Teci meu pano da Costa

com uma agulha de prata

pra fazer enfeite novo

no vestido da mulata.

Fiz uma pano colorido

tecido com fios finos

com missangas penduradas

e guizos bem pequeninos.

Bordei no pano da Costa

uma figa da Guiné

e uma sandália dourada

metida dentro de um pé

Botei tanta coisa junta

que a mulata se espantou

e ficou mesmo zangada,

e meu paninho rasgou.

Em: Bahia Flor : poemas, Rio de Janeiro, Editora Publicitan: 1949

Wilson Woodrow Rodrigues, nasceu em 1916 em Salvador, BA.  Foi poeta, folclorista e jornalista. Estudou no Colégio Ipiranga, em Salvador.

Obras:

A caveirinha do preá,  Arca ed.: s/d, Rio de Janeiro

Desnovelando, Arca ed., s/d, Rio de Janeiro

O galo da campina, Arca ed,: s/d, Rio de Janeiro

O pintainho, Arca ed.: s/d, Rio de Janeiro

Por que a onça ficou pintada, Arca ed:s/d, Rio de Janeiro

A rãzinha, Arca ed:s/d, Rio de Janeiro

Três potes, Arca ed:s/d, Rio de Janeiro

O bicho-folha, Arca ed:s/d, Rio de Janeiro

A carapuça vermelha, Arca ed:s/d, Rio de Janeiro

Bahia flor, 1948 (poesias)

Folclore Coreográfico do Brasil, 1953

Contos, s/d

Contos do Rei-sol, s/d

Contos dos caminhos, s/d

Pai João, 1952








%d blogueiros gostam disto: