Outono, poesia de Cyra de Queiroz Barbosa

21 03 2011

Outono, ilustração de revista americana, 1922, sem título.

Outono

Cyra de Queiroz Barbosa

—-

A calçada está coberta

com folhas soltas

das amendoeiras

sopradas pelo vento.

Vermelhas

amareladas

quase secas

outonadas.

As árvoes se despiram.

Esgalharam.

Braços suspensos

como em preces

implorando

o reviver na primavera.

Nos rostos que caminham pela rua

há marcas das horas

vividas

sofridas.

Há passos que se apagam

entre as duas calçadas.

Há braços que se estendem

na vã espera.

Outono

sem reviver

sem primavera.

Em: Moenda:painéis e poemas interiorizados, Cyra de Queiroz Barbosa, Rio de Janeiro, Rocco:1980, p. 129





Imagem de leitura — Frederic Soulacroix

21 03 2011

Uma senhora em seu descanso, s/d

Frederic Soulacroix (Itália, 1858-1933)

óleo sobre tela

Charles Joseph Frederic  Soulacroix  nasceu em 1858 na Itália.  Foi aluno de Ramney, Cornelius e de Dumont. Enrou para a Escola de Belas Artes em 1845 e fez sua primeira exposição  no Salon de Paris em 1849.  Considerado um pintor da classe média, sabia dar um lustre especial à variedade de texturas dos tecidos refinados de suas modelos.  Um retratista e um pintor de gênero que se excedeu ao transportar para suas telas belas cenas de interior.  Faleceu em 1933.








%d blogueiros gostam disto: