Imagem de leitura — Dong Wen Jie

10 05 2011

Jovem lendo à luz de vela, s/d

Dong Wen Jie ( China, 1972)

óleo sobre tela

Dong Wen Jie nasceu em Baishan, na China em 1972, é uma pintora e designer conhecida no mundo ocidental pelo nome de Angel.  Ela freqüentou a Academia de Arte Xi’an ao Norte da China onde começou sua colaboração com Xie Qiu Wa – hoje seu marido.  Por muitos anos teve um ateliê em Qingdao, mas hoje reside no norte da China. É uma artista da escola do realismo chinês.  Hoje, depois de muitos anos de sucesso dentro da China, seus trabalhos também são apreciados no ocidente onde já expôs e onde também tem muitos colecionadores





O cometa, poesia infantil de João de Deus Souto Filho

10 05 2011

Cometa, século XVI.

Desenho de astrônomo turco, anônimo,

Do livro Tarcuma-I Cifr, de Maomé Kamalladin.

Univerisdades Rektolugu-Istambul

Turquia

O    cometa

João de Deus Souto Filho


O Cometa não é estrela
Nem planeta,
O Cometa é viajante
Estelar,
Grande rei andarilho,
De bela coroa
E cauda a brilhar…

Em: Jornal de Poesia

João de Deus Souto Filho, Geólogo e educador. Nasceu em 1957 na cidade de Carolina, MA.  É formado em Geologia pela Universidade Federal da Bahia, pós-graduado em Geo-Engenharia de Reservatórios de Petróleo pela UNICAMP (1994), Formado em Letras (Licenciatura) pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (1999). Desenvolve trabalho sobre a importância da formação de uma consciência de preservação dos recursos hídricos.

Obras infantis:

O quintal do Seu Nicolau, 1992

O aprendiz de jardineiro, teatro, 1992

O passeio da Cinderela, teatro, 1992

Brincadeira de palavras, inédito

Na ponta da pena, inédito.





Memória do Rio de Janeiro, de meados do século passado

10 05 2011
1957. Centro da Cidade do Rio de Janeiro, avenida Rio Branco.
Acervo de Fotografias da Agência O Globo.

Uma deliciosa exposição de fotografias de época  — Memórias da Cidade — está ao alcance de qualquer pessoa interessada na história do Rio de Janeiro, ou até mesmo de como viviam nossos antepassados.  As fotos, da Agência O Globo cobrem os anos do final da década de 50 ao início da década de 60 do século passsado.  Com o intuito de trazer às novas gerações visões do passado, construindo assim a memória da cidade, esta pequena exposição mostra cenas do dia a dia carioca: lotações nas ruas, pipas de pássaros vendidas nas praias, ressacas em Copacabana, os Arcos da Lapa, bondes lotados, a Cinelândia da época dos cinemas… tudo lembra ou informa a quem visita o Centro Cultural da Justiça Federal com era a vida de antigamente.  São todas fotografias em preto e branco:  34 fotos impressas a partir de negativos no formato 120mm, considerado um clássico da fotografia analógica.  Há também uma serie de slides projetados sequencialmente, muito interessante.  Se você ainda não viu, dê uma passadimha no centro da cidade e em meia hora terá participado da experiência de uma visita ao passado.  Vale a pena, não perca!

SERVIÇO

Até dia 22 de maio

Centro Cultural da Justiça Federal

Av. Rio Branco 241 – 1º andar Centro, Rio de Janeiro / RJ. CEP 20040-009

Aberto de terça a domingo, das 12h às 19h. Tel. (21) 3261-2550

Visitas orientadas – Tel (21) 3261-2552  Biblioteca – terça a sexta-feira, das 12h às 17h








%d blogueiros gostam disto: