Imagem de leitura — Christine Reilly

9 07 2011

Guarda-chuvas de Paris, s/d

Christine Reilly (Austrália, contemporânea)

Óleo sobre tela

http://www.christinereillyartist.com

Christine Reilly, pintora australiana contemporânea, com experiência de galerista.  Além de pintura, dedica-se também à gravura e a ilustração para cartões.  dedica-se principalmente à pintura de gênero e paisagens urbanas.





Revolução de 1932, observações de Ivna Thaumaturgo

9 07 2011

Foto antiga de Itajubá, MG.

Lembranças da Revolução de 1932

A revolução paulista desencadeia na cidade um febre política que contamina toda a população.  Pela situação estratégica, Itajubá passa a ser o ponto central para onde afluem as tropas que vão combater os revoltosos e também por estar próxima ao túnel, onde se instalam as tropas paulistas para impredir o avanço dos legalistas.  Há muitos contingentes aquartelados em toda a cidade.  Até o Grupo Escolar, acabado de construir, da noite para o dia, se transformou em praça de guerra.  As paredes estão cobertas de mapas contendo a zona em que se encontram os revolucionários.  Entramos na sala em que está aquartelado o P.C. da 1ª DI.  O general Trompowsky faz as honras de dono da casa ao receber as senhoras dos oficiais que estão no front.  Manda servir café e depois chama um soldado que é hábil saxofonista e taca o Tico-tico no fubá.  Ouvimos o barulho do motor de um avião e corremos lá fora para ver.  Ele distribui manifestos pela cidade, enquanto o povo mineiro entusiasma-se dando vivas aos paulistas.  Mamãe nos leva para casa, o tiroteio começa, alguma bala desgarrada pode nos atingir.  O avião, cada vez mais alto, sai do campo de ação.  Depois desaparece.

Os boatos fervem o dia todo.  O ex-presidente Wenceslau Braz quer a adesão de Minas à causa paulista.  Os paulistas estão de tal forma empolgados, que venderam todo o ouro que tinham para comprar armas.   Em troca receberam um anel de aço onde está escrito: “Dei ouro para o bem de São Paulo”.  Nossa casa atrai visitantes, políticos, militares, civis.  Muitos, principalmente os políticos, estão empenhados em obter do papai, comandante do 4º B/E, a adesão a São Paulo.  Se isso acontecer, naturalmente os outros estados também hão de aderir.  A meu pai repugna trair o chefe da nação.  A oficialidade se reúne no QG das forças legalistas.  Góis Monteiro, Eurico Dutra, Trompowsky, Horta Barbosa.  Decidem com meu pai permanecer fiéis ao governo de Getúlio Vargas.  O desfecho desagrada ao povo mineiro.  Wenceslau Braz se empenha e consegue a transferência do oficial da arma de Engenharia, Miguel Salazar Mendes de Moraes, de Itajubá para o Rio de Janeiro.

Autora: Ivna Thaumaturgo [ Ivna Thaumaturgo Mendes de Moraes Duvivier]. Nascida em 1915, neta do marechal Gregório Thaumaturgo de Azevedo, primeiro chefe de uma comissão mista Brasil-Bolívia encarregada de demarcar a fronteira entre esses países e neta, por parte de pai, do general Feliciano Mendes de Moraes. A família era toda de militares sendo Ivna filha do futuro marechal Miguel Salazar Mendes de Moraes.

Em: A família de guizos: história e memória, de Ivna Thaumaturgo, Rio de Janeiro, Ed. Civilização Brasileira, 1997








%d blogueiros gostam disto: