O feitiço de amor, poema de Walter Waeny Júnior

18 10 2011

Ilustração: Rosas, por Len Steckler, década de 1970.

O feitiço de amor

Walter Waeny Júnior

Floriu, um dia, uma rosa

Sobre o rio; e vendo-a, rara,

Ele, de alma ambiciosa,

Refletiu-a na água clara.

E tanto ele refletiu

Sua efígie encantadora,

Que a rosa não resistiu

E o rio a levou embora.

Porém, adiante, encontrei-a,

Não mais perfumada e bela:

O rio a lançou na areia

E foi embora sem ela.

Em: 232 poetas paulistanos – antologia — Pedro de Alcântara Worms, Rio de Janeiro, Conquista:1968

Walter Weany Júnior nasceu em São Vicente em 1924.  Usou psudôniomo : Guilherme Guimarães.  Contador, funcionário do Banco do Brasil, escritor, poeta e trovador de renome.

Obras:

Ao todo tem 89 obras publicadas, entre elas:

Sonetos esparsos, poesia, 1947

Rei Destronado, poesias, 1950

A Juventude, poesias, 1950

Nascer do Sol, poesias, 1950

O Walthalla, poesias, 1951

Aforismo, 1955

Pensamentos, 1957

Walkyria, poesias, 1950

O Condor, poesia, 1975

Mulher, trovas, sextilhas e traduções, 1990

Ouro e Azul, poesias, 1992

Trovas Escolhidas, 1995


Ações

Information

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s




%d blogueiros gostam disto: