Biblioteca, poema de P. Carlos de Araújo

18 03 2012

Mulher lendo, s/d

Mary Azarian (EUA, contemporânea)

xilogravura policromada

Biblioteca

P. Carlos de Araújo

Desconfio da biblioteca organizada

os livros encadernados

arrumados competentemente

enfileirados como soldados em ordem-unida

vestindo uniforme de gala

de belas letras douradas

ou alto-relevo.

Meus livros são caprichosos

e também ciumentos.

Gostam de brincar

de esconde-esconde

dentro das estantes.

Meus livros são bagunçados.

Me ajudam quando os procuro;

mas, às vezes, se escondem

em meio aos papéis

no fundo das gavetas

no recesso dos armários,

desaparecem sem deixar vestígio

e assim ficam dias e dias

até que se cansam da brincadeira

e me procuram alegremente

dando-me todas as informações.

Em: O inimigo oculto, P. Carlos de Araújo, Rio de Janeiro, Ed. Gávea: 1988.





Palavras para lembrar — Judah Ibn Tibbon

18 03 2012

Um cômodo em Nova York, 1932

Edward B. Hopper (EUA, 1882-1967)

óleo sobre tela

Sheldon Memorial Art Gallery and Sculpture Garden, University of Nebraska-Lincoln.

“Deixe suas estantes e prateleiras serem seus jardins e terrenos de prazer.  Retire a fruta que ali cresce, colha as rosas, os condimentos, e a mirra”.

Judah Ibn Tibbon





Quadrinha da lição do pai

18 03 2012

Ilustração Patricia Storms.

É assim mesmo meu filho,

aqui no mundo há de tudo:

alfaiate maltrapilho

e barbeiro cabeludo…

(Lauro Cataldi)








%d blogueiros gostam disto: