Imagem de leitura — Théo van Rysselberghe

28 03 2012

Uma leitura no jardim, 1902

Théo (Théophile) van Rysselberghe (Bélgica, 1862 –1926)

óleo sobre tela

Casa Solvay, Bruxelas

Théo (Théophile) van Rysselberghe nasceu em Ghent, na Bélgica em 1862.  Estudou primeiro na Academia de Ghent sob a orientação de Theo Canneel e a partir de 1879 completou seus estudos na Académie Royale des Beaux-Arts , em Bruxelas, onde trabalhou sob a orientação de  Portaels .  Tinha apenas 18 anos quando  participou de seu primeiros Salão em Ghent.  Em 1881 expôs pela primeira vez no Salão de Bruxelas. Viajou bastante principalmente para o Marrocos, onde pintou muitas cenas orientalistas.  Na volta dedicou-se ainda mais ao estudo da luz.  Em 1886 tem contato com os primeiros trabalhos impressionistas, encantado ela leva o estilo para a Bélgica.  Já nessa época abandona o estilo realista com o qual havia começado a pintar pelo pontilhismo. A maior parte de sua obra, dedicada principalmente à pintura de gênero ainda permanece em coleções particulares.  Morreu em Saint-Clair em 1926





Pássaros, poesia de J. G. de Araújo Jorge

28 03 2012

Pássaros e figura, 2005

Waldomiro de Deus (Brasil, contemporâneo)

acrílica sobre papel, 44 x34 cm

www.waldomirodedeus.com.br

Pássaros

J. G. de Araújo Jorge

Há uma companhia que não aceito:

a dos pássaros engaiolados.

Gosto do rumor que fazem nos galhos

ao entardecer,

de seus cantos isolados que nunca podemos saber

se são reproduzidos

ou se partirão para sempre, com o voo ignorado.

Em: A outra face, J. G. de Araújo Jorge, Rio de Janeiro, Editora Vecchi:1957.





Palavras para lembrar — Mary Wortley Montagu

28 03 2012

Moça lendo, 1815

Dinastia Qing, Jiaqing, Cantão, China

Pintura em vidro, no reverso, 29 x 44 cm

Museu de Liverpool, Inglaterra.

“Não há diversão mais barata que a leitura, nem prazer mais duradouro”.

Mary Wortley Montagu





Os céus mais espetaculares na pintura… Quais são os seus favoritos?

28 03 2012

A promessa, 1950

René Magritte (Bélgica, 1898-1957)

óleo sobre tela

O jornal inglês The Guardian publicou no dia 11 de março um artigo interessante, que mais parece um jogo de memória para quem gosta das artes visuais, onde eles nomearam os 10 melhores céus na pintura.    Eles conseguiram fazer com que eu discordasse de quase todas as suas escolhas, com exceção do quadro de Van Gogh, Noite estrelada. [não deixe de seguir o link e ver as escolhas deles e das pessoas que comentam no artigo].

Noite estrelada, 1889

Vincent van Gogh (Holanda, 1853-1890)

óleo sobre tela

Museu de Arte Moderna, Nova York

Além do Van Gogh, eu incluiria os céus de Magritte, os maravilhosos céus de Georgia O’ Keeffe. O artigo menciona O’Keeffe, mas outro trabalho.

A Igreja em Cebolla, 1945

Georgia O’ Keeffe ( EUA, 1887-1986)

North Carolina Museum of Art


Giorgione, Winslow Homer, Van Goyen são igualmente extraordinários.

A tempestade, 1506-08

Giorgione (Veneza 1477 -1510)

óleo sobre tela, 83 x 73 cm

Gallerie dell’Accademia, Veneza

Navegando em Sloop, Bermudas, 1903

Winslow Homer  (EUA 1836-1910)

aquarela

O mar em Haarlam, 1656

Jan Van Goyen (Holanda, 1596-1656)

óleo sobre painel de carvalho, 40 x 55 cm

Museu em Frankfurt

Confesso que sou muito parcial ao expressionismo.  Com ele temos a obra maravilhosa de Munch e de Max Beckmann.

O grito, 1893

Edvard Munch (Noruega, 1863-1944)

óleo sobre tela

Paisagem com lua, 1925

Max Beckmann ( Alemanha, 1884-1950)

óleo sobre tela, 40 x 60cm

San Diego Art Museum, EUA

Amo a limpidez dos céus do Saara, como capturados por Marilhat.

Ruínas da mesquita do califa El-Haken no Cairo, 1840

Prosper Marilhat (França, 1811-1847)

óleo sobre tela, 84 x 131cm

E o peso das pinceladas de Cézanne que transformam esse céu.

Margens do rio, 1904-05

Paul Cézanne (França, 1839-1906)

óleo sobre tela,  65 x 81 cm

Coleção Particular, Suíça

E os seus céus favoritos, quais são?








%d blogueiros gostam disto: