Imagem de leitura — Wanderley Santana

9 05 2012

Lendo jornal, c. 2000

Wanderley Santana ( Brasil, 1945)

óleo sobre eucatex. 20 x 36 cm

Wanderley Santana é natural de Minas Gerais.  Tem um blog com sua arte e diversos recortes de jornal sobre exposições.  http://wanderleisantana.blogspot.com.br

 





Filho de Geek, geekinho é? Conselhos para educar o seu geekinho…

9 05 2012

Zé Carioca, Rosinha, Amadeu jogam no computador, ilustração Walt Disney.

De acordo com Frank Catalano,  autor e analista em educação digital, a geração dos primeiros Geeks chega ao momento de se reproduzir, de ter seus próprios filhos.  Os “geekinhos”, como ele chama, certamente precisarão de uma boa educação.  Pensando nisso ele fez uma lista de sete regras para educar bem essa nova geração de Geeks.  Abaixo vocês encontrarão um resumo de seus conselhos, publicados na revista Wired de fevereiro deste ano.

1)   Deixe o seu filho errar, falhar.

Todo mundo diz isso, mas especificamente no mundo dos jogos eletrônicos não ofereça dicas. Deixe que seu filho descubra os truques de forma independente. Não compre uma placa mais rápida de vídeo, configure uma conexão de baixa latência ou desbloqueie certas portas do roteador, a menos que a criança aprenda a fazê-lo. Será uma boa preparação não apenas para o empreendedorismo em um ambiente de negócios, mas como treinamento para o suporte técnico futuro.

2)   Exponha o seu filho à arte.  

Não aos quadrinhos, mas à arte tradicional, como a que se encontra no museu de arte ou no teatro. Você ficaria surpreso de saber como mesmo as pequenas exposições à arte, numa idade jovem, têm um efeito enorme.  Mesmo que inicialmente seu filho rejeite a ideia e vá de má vontade, esperneando, reclamando, esses pequenos contatos podem permanecer como sementes dormentes por um longo tempo e podem ajudar mais tarde na gestação de uma explosão de interesses criativos que terão, como referência para um trabalho futuro, essas portas abertas na infância.

Cientistas de Patópolis se surpreendem com o computador. Ilustração Walt Disney.

3)   Expor a criança a Star Trek. (Ou, se for preciso, a Star Wars).  

É muito mais difícil construir um futuro que você nunca tenha visto, imaginado ou lido a respeito.  As visões de outras pessoas, dos clássicos, as idéias projetadas em pensar futuros possíveis são muito importantes.   A leitura de ficção científica ajuda a internalizar o que poderia ser,  tanto do bom quanto do  ruim.

 

4)   Deixe-os descobrir a leitura por prazer.  

Todos os bons jogos digitais e de entretenimento em sua essência começam com um texto, com uma história. Então deixe seu filho ler, seja em papel ou leitura digital, deixe que ele se divirta com esses textos.  Deixe os livros de papel à mão, à sua volta, onde possam ser consultados, apanhados, explorados (também servindo de lembrete tácito do conhecimento do mundo, ou de conteúdo que vale a pena ser digitalizado).  Inicie seu filho ao hábito de visitar uma biblioteca e usá-la regularmente. Seus filhos podem não se tornar escritores, mas provavelmente vão ter um melhor vocabulário e desenvolver o gosto por palavras que são, em última análise, o coração de muitas obras expressas em formas visuais e verbais.  Se eles conseguirem manipular a linguagem que estimula a imaginação, eles poderão criar alguma coisa.

5)  Incentive-os a mexer no computador, e explorá-lo obsessivamente.

Há horas em que a computação é melhor que os brinquedos, porque, por exemplo, você não se machuca pisando em blocos digitais como no jogo Minecraft, como pode acontecer  de você machucar o pé pisando nas peças de LEGO. Independente da idade é bom construir coisas baseadas em regras e em aprendizagem de programação e lógica. É bom ser competitivo em tecnologia de engenharia matemática, mesmo que esse conhecimento não o leve a uma carreira em computação. Você deve incentivar seu filho a construir computadores e, ele adquirirá os conhecimentos técnicos básicos, aprenderá a pesquisar o que precisa ser feito, onde comprar os componentes e como montá-los. A melhor maneira de se aprender uma nova tecnologia é mergulhar nela, o que vem naturalmente às crianças, e as ajuda a desenvolver uma compreensão mais profunda do que estão fazendo.

Tio Patinhas encontra o cérebro eletrônico, ilustração Walt Disney.

6)   Dê o seu tempo, seja um voluntário na escola de seu filho.

Você pode pensar que sabe o que está acontecendo na escola porque vai às conferências para pais e professores, observa os  boletins de seu filho e participa dos eventos para que é chamado. Mas nada supera a visão de dentro quando você dá uma ajuda durante o horário escolar, mesmo que seja apenas para umas duas horas por mês. Não só você vai entender melhor os verdadeiros interesses e desafios das crianças, mas também a melhor forma de apoiar o professor.  Você pode também oferecer a sua ajuda naquilo que você mais sabe, mais conhece: se você é um geek, participe como puder na parte de apoio tecnológico por exemplo.

7)   Promova relacionamentos reais.

Apesar de tudo a tecnologia não supera nem a biologia nem a psicologia. O calor do contato humano persiste por muito tempo após os pixels terem se apagado.  Somos animais sociais e a palavra chave não é o “social”, mas o “animal”. Os relacionamentos virtuais e o mundo virtual deve contar para seu filho sem esquecer que os relacionamentos cara a cara são ainda mais importantes.

Além do conselho de ser permanentemente paciente, de manter o equilíbrio e construir a responsabilidade pessoal para com os seus filhos, nunca pare de aprender. Caso contrário, não haverá nenhuma esperança de se manter próximo ao seu filho.





Trova das mães e das plantas

9 05 2012

Ilustração para Dafne, de Pamela Francisco.

As mães são divinas plantas
que deram frutos, sementes…
Para Deus são todas santas
com milagres diferentes.

(Maria Nascimento Santos)








%d blogueiros gostam disto: