Noturno, poema de Jayme Quartin

7 06 2012

Paisagem com lua, 1925

Max Beckmann (Alemanha,1884-1950)

óleo sobre tela

Noturno

Jayme Quartin

Noturno de coruja

vagalume e grilo

noturno das vacas

silentes mastigantes

pensamentos brotam

do capim gordura

destacam-se das

sombras

os silêncios profundos

como lontras emergentes

do rio

pescando delineadas

lâminas em prata

que os antigos

chamavam

de peixe.

Noturno dos piados

esquisitos no alto

da mangueira

e o cajado

do fantasma

batendo no chão.

Noturno de brisas.

Noturno de

odores

multifaceiro

veloz e a

cores.

Nas asas misteriosas

da noite

o vôo do bacuráu!

Em: Ray-ban, de Jayme Quartin, 1995.





Quadrinha da noite de estrelas

7 06 2012

Um passeio na noite, ilustração de Martta Wendelin.

A Lua, do céu princesa,

entre as estrelas, vagando,

mostrando a sua beleza,

vai a todos conquistando!

(Gislaine Canales)








%d blogueiros gostam disto: