Palavras para lembrar — C.S. Lewis

19 09 2012

O cérebro da criança, 1914

Giorgio De Chirico (Itália, 1888 – 1978)

Óleo sobre tela, 81 x 75 cm

Coleção Breton, Paris

“Lemos para saber que não estamos sozinhos”.

C.S. Lewis





Divertimento, poesia de Henriqueta Lisboa

17 09 2012

Ilustração Elizabeth Webbe, 1963.

Divertimento

Henriqueta Lisboa

O esperto esquilo

ganha um coco.

Tem olhos intranquilos

de louco.

Os dentes finos

mostra. E em pouco

os dentes finca

na polpa.

Assim, com perfeito estilo,

sob estridentes

dentes,

o coco, em segundos, fica

oco.

Em: Nova Lírica: poemas selecionados, Henriqueta Lisboa, Belo Horizonte, Imprensa Oficial: 1971





Imagem de leitura — Ricardo Estecha

15 09 2012

Senhora com cachorro, loura e com pernas, 2010

Ricardo Estecha  (Espanha, contemporâneo)

Técnica mista, baseada em fotografia.

Parte do projeto coletivo do Espaço Belleartes, localizado em Cáceres na Espanha:

SEÑORA MAYOR CON PERRO SENTADA EN EL PARQUE,

como visto no blog do espaço, hoje fechado.

Belleartes





Em resposta às dúvidas sobre alguns textos antigos postados aqui: Marisa Lajolo fala sobre a obra de Monteiro Lobato

14 09 2012



Desde que tenho postado alguns contos antigos que fazem parte da nossa herança cultural tenho recebido questionamentos sobre a necessidade de se reformular os contos para ajustarmos essas tradições à cultura moderna.

Sou contra.

Hoje foi uma indagação, bem educada, — elas nem sempre são —  sobre Os três companheiros, conto da tradição oral coletado por Luiz da Câmara Cascudo.  Mas já tive comentarios e até pedidos de retirada  sobre outras postagens.   Sou contra a modificação de qualquer dessas tradições folclóricas para que  se ajustem aos modos do momento.  Sou inclusive contra  a modificação da música infantil Atirei um pau no gato.  Acho que estamos sistematicamente assumindo que as pessoas de hoje não têm a habilidade de distinguir o que é certo do que é errado.  Isso é de um reducionismo colossal.  E acredito que muitas vezes essa tentativa de censura reflita no fundo um medo sobre as massas serem educadas, as massas que “não sabem distinguir o certo do errado.”  Posto hoje o comentário da Profa Maria Lajolo como resposta.

E antes de alguém vir falar sobre direitos dos animais, sugiro que vejam a postagem que tenho sobre a fotógrafa Ellen van Deelen.





Trova (Quadrinha) da primavera!

14 09 2012

Ilustração de Sylvie Daigneault.

Primavera colorida,

estação de belas flores!

A primavera da vida

lembra a estação dos amores.

(Lêda Terezinha de Oliveira)





Palavras para lembrar — Thomas B. Macaulay

13 09 2012

Um autor esquecido, 1890

Joseph Skelton (Inglaterra, 1821-1901)

óleo sobre madeira, 20 x 31 cm

“Prefiro ser pobre em um casebre cheio de livros do que rei sem o desejo de ler”.


Thomas B. Macaulay





Conversa de bar: que filmes você lista inesquecíveis visualmente?

12 09 2012

Cinema em casa, ilustração Stefan Dohanos.

Atividade de fim de semana: sair com amigos e jogar conversa fora.  Frustrados com as escolhas para idas ao cinema, resolvemos só nos encontrarmos, acompanhado de vinho, chope e guaraná zero,  listamos  desta vez os filmes que mais nos marcaram visualmente.   Só aqueles  filmes que têm uma, duas ou mais cenas visualmente inesquecíveis, que nos deixam boquiabertos, com surpresa e admiração, sem levar em conta o contexto da cena.   A lista foi diferente para cada participante.  E as razões das escolhas talvez mais interessantes do que as próprias seleções.  Mas certamente vale a pena  rever mentalmente aqueles filmes que marcaram.    Para quem gostaria de saber, aqui vai a minha lista, que pode ser aumentada a qualquer momento.  A ordem foi a ordem de chegada, ou seja, a ordem em que fui me lembrando.

1 – Melancolia, 2011, de Lars Von Trier.

2 – Titus, 1999, de Julie Taymor.

3 – Avatar, 2009, de James Cameron

4 – 2001 Odisséia no Espaço, 1968, Stanley Kubrick

5 – Gritos e sussurros, 1972 , Ingmar Bergman

6 – A festa de Babette, 1987, Gabriel Axwel

7 – Contatos imediatos de terceiro grau, 1977, Steven Spielberg

8 – Adeus minha concubina, 1993, Kaige Chen

9 – A partida, 2008, Yojiro Takita

10 – O tigre e o dragão, 2000, Ang Lee

11 – Império do Sol, 1987, Steven Spielberg

12 – O Piano, 1993, Jane Campion

13 —  Yol, 1983 ,de Yumaz Güney

14 – Os pássaros, 1963, de Alfred Hitchcock

15 — Blow up, 1966, de Micheangelo Antonioni








%d blogueiros gostam disto: