O cabrito, poema de José Paulo Moreira da Fonseca

23 10 2012

Cabrito, gravura antiga.

O cabrito

José Paulo Moreira da Fonseca

Povoaste a paisagem grega

————–guardas um timbre clássico algo de conciso

ágil e jovem — quem negaria? — basta ver-te sobre os abismos

sem receio ou vertigem

—————como a vida

Em: Antologia Poética, José Paulo M. F., Rio de Janeiro, Leitura: 1968








%d blogueiros gostam disto: