Imagem de leitura — Edwin Lord Weeks

30 11 2012

Edwin Lord Weeks-2Arabeslendo no jardim

Dois árabes lendo em pátio, s/d

Edwin Lord Weeks (EUA, 1849-1903)

óleo sobre tela, 46 x 37 cm

Coleção Particular

Edwin Lord Weeks nasceu em Boston em 1849. Filho de abastada família de importadores de chá e especiárias, foi capaz de frequentar as melhores escolas e de participar de uma educação artística de qualidade.  Foi aluno de Léon Bonnat e de Jean-Léon Gerôme em Paris.  Membro da Legião de Honra da França, viajou muito pelo oriente médio, países da Ásia e até mesmo ao Suriname na América do Sul. Publicou um livro de viagens.  Sua temática reflete o encantamento das sociedades  exóticas que conheceu, pintor orientalista.   Faleceu em 1903 depois de uma carreira de sucesso.





Quadrinha do beijo

30 11 2012

beijo Harrison Fisher (1875 - 1934)

Beijo, ilustração de Harrison Fisher (EUA, 1875-1934)

Meu beijo é bem diferente

dos beijos que os outros dão:

eles beijam, simplesmente,

eu… beijo, com o coração.

(Rômulo Cavalcante Mota)





O Natal em poucas palavras — Peg Bracken

30 11 2012

Cartão Postal.

“Presentes de tempo e amor são, decerto,os ingredientes básicos para um verdadeiro feliz Natal”.

Peg Bracken





Ilusões de ótica!

29 11 2012

Olha só!  diz Luizinho,  ilustração Walt Disney.

Recebi esta semana um email com diversas imagens que nos dão ilusão de ótica.  Já tratamos desse assunto aqui.  E uma delas usamos como ilustração do poema Romance ingênuo de duas linhas paralelas, de José Fanha. Incentivo todos a conhecerem esse delicioso poema clicando no link.  Mas a versão que usamos naquela postagem de 2009 não é colorida.  Hoje postarei em seguida as imagens que recebi.  Infelizmente elas vieram sem autoria, de modo que não posso passar para vocês o autor da coletânea, mas pela maneira de escrever deve ser português.  Divirtam-se.





O Natal em poucas palavras — Marques Rebelo

29 11 2012
Cartão de Natal,  década de 1970 – A cidade de Belém com a estrela guia.

“24 de dezembro

“A estrela da tarde está subindo no céu com o seu brilho mais puro. Um momento de tréguas na crueza de nossas vidas!”

Marques Rebelo

[O trapicheiro, primeiro tomo de O Espelho Partido], São Paulo, Martins: 1959, primeira edição.





O álbum, poesia de Almeida Garrett

28 11 2012

Opalescência, s/d

Lynn Renée Sanguedolce (EUA, 1959)

óleo sobre tela, 100 x 75cm

www.lynnrenee.com

O álbum

Almeida Garret

Minha Júlia, um conselho de amigo;

Deixa em branco este livro gentil:

Uma só das memórias da vida

Vale a pena guardar, entre mil.

E essa n’alma em silêncio gravada

Pelas mãos do mistério há-de ser;

Que não tem língua humana palavras,

Não tem letra que a possa escrever.

Por mais belo e variado que seja

De uma vida o tecido matiz ,

Um só fio da tela bordada,

Um só fio há-de ser o feliz.

Tudo o mais é ilusão, é mentira,

Brilho falso que um tempo seduz,

Que se apaga, que morre, que é nada

Quando o sol verdadeiro reluz.

De que serve guardar monumentos

Dos enganos que a esp’rança forjou?

Vãos reflexos de um sol que tardava

Ou vãs sombras de um sol que passou!

Crê-me, Júlia: mil vezes na vida

Eu co’a minha ventura sonhei;

E uma só, dentre tantas, o juro,

Uma só com verdade a encontrei.

Essa entrou-me pela alma tão firme,

Tão segura por dentro a fechou,

Que o passado fugiu da memória,

Do porvir nem desejo ficou.

Toma pois, Júlia bela, o conselho:

Deixa em branco este livro gentil,

Que as memórias da vida são nada,

E uma só se conserva entre mil.

Em: Folhas Caídas, Almeida Garrett, Porto, Editorial Domingos Barreira: s/d





O Natal em poucas palavras — Washington Irving

28 11 2012

Pedidos de Natal, ilustração Priscilla Pointer (EUA, 1924) propaganda de linha branca.

“O Natal é a época de acender o lume da hospitalidade na entrada, a brilhante chama da caridade no coração.”

Washington Irving








%d blogueiros gostam disto: