O verde do meu bairro: Extremosa, ou Resedá

11 11 2012

Há algumas extremosas no meu bairro.  Sei que elas são muitas vezes vistas com desagrado, quase como uma praga, porque foram usadas para a arborização em muitas cidades brasileiras, em ruas movimentadas, em detrimento de outras espécies.  Nessa escolha importaram as qualidades: beleza, baixa altura, raízes que não destroem as calçadas e resistência.  A extremosa ou resedá não é nativa do Brasil e  pode criar problemas para muitas das árvores nativas de maior porte.  Talvez seja por isso, que nos EUA, nos estados  onde morei – Maryland, Virginia, Washington DC e Carolina do Norte–  elas são usadas em grande escala só nos canteiros do meio das estradas,  embelezando, delimitando e, por causa de sua baixa estatura, ajudando a bloquear a luz de caminhões vindos no sentido contrário.  Também são usadas nas beira de estradas, com uma boa separação de grama entre elas e a vegetação nativa.  Podemos ver na foto abaixo, um exemplo de como são usadas. Claro que muitas pessoas plantam resedás em seu jardim, mas simplesmente como um foco de cor para o verão, uma única árvore, onde podem ser vigilantes quanto às pragas.

Por que elas são olhadas com desconfiança?  Sua praticidade – fácil reprodução, manutenção e raízes que não prejudicam calçadas – levou muitos municípios brasileiros a plantarem quase que exclusivamente as extremosas em suas vias públicas.  Isso não só leva à possibilidade de monocultura, como pode afetar as árvores nativas porque o resedá é suscetível ao abrigo de pragas, como erva de passarinho, que vivem da habilidade de extrair seus nutrientes das árvores em que se instalam.  Seu uso tem sido desencorajado.  Mas mesmo assim, é um belo respingo de cor na paisagem, que, aqui no Rio de Janeiro, atravessa duas estações: primavera, verão.

Natural da Índia e da China, os primeiros pés de extremosa foram trazidos para os EUA ainda no século XVIII, mais precisamente em 1790, pelo botânico francês André Michaux (1746-1802), autor entre outros das obras: Histoire des chênes de l’Amérique, 1801 [História dos carvalhos da América] e Flora Boreali-Americana, 1803 [Flora da América do Norte].

A extremosa (Lagerstroemia indica) recebe diversos nomes no Brasil: Resedá, Suspiros, Julieta, Árvore-de-júpiter, Flor-de-merenda, Mumiquilho.  Caiu no gosto popular por causa de sua função decorativa.  Tem flores  em forma de espigas.  Dependendo da região onde é plantada floresce no verão ou no verão e na primavera (como é o caso aqui no Rio de Janeiro, onde a primavera é quente).  Suas flores podem ser de três cores: branca, rosa ou vermelha.  Deve ser podada durante o inverno e as flores aparecerão na ponta dos ramos que foram podados.   Suas folhas são elípticas alongadas.  Nas regiões frias a árvore perde todas as folhas no inverno.  Chega aos 6 metros de altura.

Para maiores informações:

Meu cantinho


Ações

Information

6 responses

11 11 2012
Regina

Bonitas e generosas. Aqui quase posso dizer que floram o ano inteiro, uma vez que só temos duas estações: sol e chuva, sendo a primeira muito mais duradoura que a segunda. Também na cidade de Natal-RN elas foram largamente usadas nos canteiros centrais das principais vias.
Estou com inveja do seu bairro… abraço.

11 11 2012
peregrinacultural

É mesmo? O ano inteiro? Que beleza! Que outra plantas são usadas aos montes por aí? Sinto falta de alguns verdes que eram abundantes quando eu era criança. Costela de Adão por exemplo, praticamente desapareceu das nossas praças e dos jardins dos edifícios.

Há uns dias atrás quando vc comentou sobre moda nos jardins, você falou do buquê de noiva… Conheço bem a SPIREA, que eu tinha no meu jardim na Carolina do Norte. Há diversos tipos. A mais rechonchuda, que deve ser a tal a que vc se referia e a com pontas como um cabelo desalinhado… Este arbusto eu tinha nos EUA. Mande dizer qual é popular por aí… Vou procurá-la aqui no Rio.

29 10 2014
Ana Carolina

As flores atraem muitos insetos???
Como as folhas ficam no período após o periodo de floração??? Elas caem tudo ou nao???

31 10 2014
peregrinacultural

Ana Carolina, não atrai muitos insetos… Quanto às folhas, vai depender da região do Brasil. Ela prefere clima mais para o sul-sudeste do Brasil. Quando estive nos EUA vi muitas que perdem as folhas durante o inverno, mas aqui no RJ elas não perdem todas as folhas. Sugiro um site especializado, como esse abaixo.

15 11 2015
Marli da Conceição Siqueira

Há muitos anos , pela janela do ônibus ,vi num jardim extremosa amarela, depois procurei em muitos hortos para comprar, mas nunca encontrei.

28 11 2016
Juarez Fernandes

A MINHA JA TEM 3 METROS E NUNCA BOTOU UMA FLOR

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s




%d blogueiros gostam disto: