Rondó do capitão, poesia de Manuel Bandeira

19 11 2012

Soldadinho de chumbo, s/d

Marysia Portinari ( Brasil, 1937)

óleo sobre tela, 30 x 20 cm

Rondó do capitão

Manuel Bandeira

Bão balalão,

Senhor capitão.

Tirai este peso

Do meu coração.

Não é de tristeza,

Não é de aflição:

É só de esperança,

Senhor capitão!

A leve esperança,

A aérea esperança…

Aérea, pois não!

Peso mais pesado

Não existe não.

Ah, livrai-me dele,

Senhor capitão!

8 de outubro de 1940

Em: Manuel Bandeira Antologia Poética, Rio de Janeiro, Livraria José Olympio:1978, 10ª edição





Palavras para lembrar — Ursula K. Le Guin

19 11 2012

A hora do descanso, 1913

Albert Chealier Tayler (Inglaterra, 1862-1925)

óleo sobre tela

Alfred East Gallery, Kettering Burough County

“Uma história não lida, não é uma história; são pequenas marcas negras na polpa de madeira.  O leitor faz ela ter vida: uma coisa viva, a história”.

Ursula K. Le Guin








%d blogueiros gostam disto: