Palavras para lembrar — Oscar Wilde

13 04 2013

Albert Lynch - 1851-1912 - A Quiet ReadAlbert Lynch - Peru , 1851-1912Leitura silenciosa, s/d

Albert Lynch (Peru, 1851-1912)

óleo sobre tela, 61 x 50 cm

Christie’s Auction House (Londres), 2003

“Não há isso de livro moral ou imoral. Livros são bem ou mal escritos”.

Oscar Wilde





Quermesse, poema de Mário Mauro Matoso

13 04 2013

Bonaventura Cariolato (Itália 1894-Brasil, 1989) -Festa na aldeia,aquarela ,1965,Bairro da Boa Vista em Franca, 33 x 40 cm.

Festa na aldeia, 1965

Bonaventura Cariolato (Itália/Brasil, 1894-1989)

[Bairro da Boa Vista, em Franca]

óleo sobre tela, 33 x 40 cm

Quermesse

Mário Mauro Matoso

Recordo uma quermesse em Santa Rita…

A praça principal, ornamentada,

A Banda no coreto, entusiasmada,

Executando a marcha favorita…

Defronte a uma barraca, a petizada

De olhos fitos na prenda mais bonita…

O Correio elegante… a senhorita

Que outrora fora minha namorada.

A barraca do Bar e do Café,

O bloco do catira, o bate-pé

Sobre um tablado, rústico e bisonho…

Assim é que relembro nossa terra,

A cidade feliz que se descerra

Na perpétua quermesse do meu sonho!

Em: 232 Poetas Paulistas:antologia,  ed. e col. Pedro de Alcântara Worms, São Paulo, Conquista: 1968, p. 473.

Mário Mauro Matoso [Mattoso] (SP, 1902- ?) . Poeta.

Obra:

Flâmulas e Flores, poesia, 1964








%d blogueiros gostam disto: