Brasil que lê: fotografia tirada em lugar público

13 07 2013

Praça do Lido, brasileiro lendo jornalPraça do Lido, Copacabana, Rio de Janeiro.




Dona Feia, poesia de Ernani Vieira

13 07 2013

Haydéa Santiago,Vestido Novo, 1937,ost,65 x 50Vestido novo, 1937

Haydéa Santiago (Brasil, 1896-1980)

óleo sobre tela,  65 x 50 cm

Dona Feia

Ernani Vieira

Feia e boa. Nasceu de uma saudade

E vive uma saudade a reviver…

Foge dessa alegria da Cidade

— para a Cidade não n’a conhecer…

Nossa Senhora de uma Soledade

dentro da soledade a padecer,

a feia — assim como a necessidade

que tenho, há tanto tempo, de a querer…

Tem a Dor e a Ilusão por companheiras

de sua vida, e guarda n’alma, quieta,

a virtude monástica das freiras.

E não sabe afinal, entre ilusões,

que tem a glória de envolver um Poeta

na mais pura de todas as paixões…

Em: A lira da minha terra: poetas antigos e contemporâneos no Pará, selecionado por Clóvis Meira,  sem indicação de editora, Belém: 1993








%d blogueiros gostam disto: