Nossas cidades — Rio Pardo

31 03 2014

Nathaniel Guimaraes,velhacasa,1978,aquar,23x30,AdoMalagoli,POAVelha casa em Rio Pardo, 1978

Nathaniel Guimarães (Brasil, contemporâneo)

aquarela, 23 x 30cm

Museu Ado Malagoli, Porto Alegre





Palavras para lembrar — Elie Wiesel

31 03 2014

Antonio Vidal RollandJovem lendo

Antonio Vidal Rolland (Espanha, 1889-1970)

“Há uma diferença entre um livro de duzentas páginas desde o início e um livro de duzentas páginas que são o resultado de um original de oitocentas páginas. As seiscentas estão lá. Só que você não as vê.”

Elie Wiesel





Soneto de Bernardino Lopes do livro Cromos (1881)

31 03 2014

ANITA MALFATTI (1889 - 1964),O Samba, 1940,ost, 39x49cmO Samba, 1940

Anita Malfatti (Brasil, 1889-1964)

óleo sobre tela, 39 x 49 cm

XXII

Bernardino Lopes

Homens e moças, crianças,

Todos vêm fora, ao terreiro.

Um deles, chamando às danças,

Põe-se a rufar no pandeiro…

Principia a cantarola…

Um camponês de unha adunca

Ponteia alegre a viola.

Faz um luar como nunca!

Salta um rapaz no fadinho;

Uma mulher, de corpinho,

Vem requebrando de lá;

E a meninada bizarra

Faz uma grande algazarra

Brincando de tempo-será*.

* O negrito é do texto original.

Em: Cromos, Bernardino Lopes, 1881

Abaixo a  brincadeira tempo-será.

Tempo será — brincadeira de pique. As crianças escolhem um pegador. Ele e as outras crianças então recitam o seguinte:

Pegador — Tempo será.
Crianças — De cericecó.
P — Laranja da China.
C — Pimenta em pó.
P — Pinto que pia?
C — Pi-pi-ri-pi.
P — Galo que canta.
C — Cocorocó
P — Quem é o durão?
C — Só eu só.
P — Olha que lhe pego.
C — Não é capaz.
P — Olha que lhe pego.
C — Se for capaz…

Todos fogem do pegador. O primeiro que for pego será o pegador seguinte.








%d blogueiros gostam disto: