Imagem de leitura — Arlene Cassidy

2 09 2014

 

 

CASSIDY-Arlene-Base da Tranquilidade, ’Arlene Cassidy (Canadá), 50 x 75 cm, gravura sobre tela,Base da tranquilidade

Arlene Cassidy (Canadá, contemporânea)

gravura sobre tela, 50 x 75 cm

www.arlenecassidy.com





O papel das mulheres no século XII

2 09 2014

 

 

CodexManesse-1305-40-ManinBasket -- a medieval illumination from the Codex Manness, c. 1304- c 1340Mulher elevando o namorado na cesta até seus aposentos, Codex Manness, c. 1304- c 1340

 

 

Na sala de aula é comum vermos a imaginação das jovens se incendiar quando imagens de belas senhoras ou senhoritas, vestidas como princesas são projetadas na tela para esclarecimento de pontos históricos em um programa de iluminuras medievais.  Realmente há ocasiões em que as roupas parecem maravilhosas, e as festas na cortes coloridas, não se desbotam mesmo passados mais de cinco, seis, sete, séculos.  No entanto a cabeça de quem vive no século XXI tem dificuldade de entender tudo o que era esperado de uma mulher… além é claro de tudo que lhe era proibido na idade média.   Para entender esse período precisamos ler muito. A pesquisa sobre o comportamento social das “pessoas invisíveis” durante a idade média só foi levada a sério na segunda metade do século XX.  Pessoas invisíveis são todas aquelas que não lideraram um território geográfico, que não foram nobreza nem clero de importância, que não foram pensadores.  São as pessoas comuns, mercadores, comerciantes, trabalhadores, homens e mulheres.  Essas últimas só mesmo as mais importantes tiveram ocasião de serem lembradas. Assim, a pesquisa sobre o comportamento desses invisíveis requer muito lida em documentos de difícil acesso  e de difícil leitura.  Mas historiadores europeus, principalmente franceses, deram um grande empurrão nesses conhecimentos.  Hoje sabemos muito mais da textura social na idade média.  O parágrafo que segue é ilustrativo do que era esperado do comportamento de uma mulher na corte, desde a adolescência até viuvez.

 

“No século XII, padres e guerreiros esperavam da dama que, depois de ter sido filha dócil, esposa clemente, mãe fecunda, ela fornecesse em sua velhice, pelo fervor de sua piedade e pelo rigor de suas renúncias, algum bafio de santidade à casa que a acolhera. Era o dom último que ela oferecia a esse homem que a deflorara bem jovem, que se abrandara em seus braços, cuja piedade se reavivara com a sua e que depositara numerosas vezes em seu seio o germe dos rapazes que mais tarde, na viuvez, o apoiaram e que ela ajudaria com seus conselhos a conduzirem-se melhor. Dominada, por certo. Entretanto, que se tranquilizavam clamando bem alto sua superioridade nativa, que a julgavam contudo capaz de curar os corpos, de salvar as almas, e que se entregavam nas mãos das mulheres para que seus despojos carnais depois de seu ultimo suspiro fossem convenientemente preparados e sua memória fielmente conservada pelos século dos séculos”. 

 

Em: As damas do século XII, Georges Duby, São Paulo, Companhia das Letras: 2013, p. 248.





Cuidado, quebra! Taça para vinho ou confeitos, 1475-1500

2 09 2014

 

hb_17.190.730a,b

Taça para vinho ou confeitos com cenas de Virgílio e Febilla, c. 1475-1500

Veneza (Murano), Estúdio de vidro Barovier

Vidro esmaltado e dourado, 21,6 x 12,4 cm

Inscrição: VERBLIO; Venite

Metropolitan Museum, Nova York





Minutos de sabedoria — Bernard Shaw

2 09 2014

 

 

KIKOINE-Michel-3Michel KIKOINE (1892-1968) Portrait de Madame Socolovert Huile sur toile signée en haut à gauche. (Rentoilage). 73 x 54 cmRetrato de Mme Socolovert, s.d.

Michel Kikoine (Rússia, 1892-França, 1968)

óleo sobre tela, 73 x 54 cm

 

 

“Há pessoas que veem as coisas como elas são e que perguntam a si mesmas: ”Porquê?” e há pessoas que sonham as coisas como elas jamais foram e que perguntam a si mesmas: ”Por que não?”.”

 

photo-George-Bernard-Shaw
Bernard Shaw







%d blogueiros gostam disto: