Amanhecera, poema de Bernardino Lopes

25 11 2014

José Marques Campão Cavalgada 17 x 24 cm – OSM Ass. CIE e Dat. 1947Cavalgada, 1947

José Marques Campão (Brasil, 1892-1949)

óleo sobre madeira, 17 x 24 cm

IX

Bernardino Lopes

Amanhecera. O tropeiro

Passa, cantando na estrada;

No seu casebre o roceiro

Prepara as foices e a enxada.

Ao rumor a luz casada

Enche de vida o terreiro;

Parecem bruma cerrada

As flores, lá! do espinheiro…

Aspira-se o olor suave

Do bom café… Alto e grave

Bate o pilão nas cozinhas.

Há junto à horta uns barrancos

Onde a  mulher de tamancos,

Distribui milho às galinhas.

Em: Cromos, 1881


Ações

Informação

One response

5 12 2014
Maria Helena Oswaldo Cruz

Simples e verdadeiro esse retrato da manhã na roça.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s




%d blogueiros gostam disto: