Nossas cidades: Recife

29 02 2016

 

 

CíceroDias,(1907-2003)Casariodorecife,ost,65x54Casario do Recife

Cícero Dias (Brasil, 1907-2003)

óleo sobre tela, 65 x 54 cm





Ano bissexto, leva a pensar na astronomia…

29 02 2016

 

 

c8485ee478337513c93c826379a65f0aCriação do mundo, c. 1250

Iluminura

Bíblia moralisada (Codex Vindobonensis 2554), 344 x 260 mm

Österreichische Nationalbibliothek, Viena

.

.

Às vezes é complicado explicar como cheguei a certos textos, nem vale a pena. Há uma palavra em inglês que é o meu motto: Serendipity. A tradução é inexata: ao acaso, por sorte, gosto de pensar que é por um flanar através de tópicos e ideias que chego ao que me importa. Taí, uma boa descrição. Aqui estão alguns dados interessantes sobre a evolução da astronomia.

.

.

“Os astrônomos da Europa ocidental antes do final do século X estavam bastante incapacitados em seu trabalho por falta de instrumentos apropriados à observação dos astros. Até então seus principais instrumentos eram a esfera armilar e o relógio de sol. Para calcular as datas da Páscoa e de outras festas móveis e o tamanho dos anos, meses e dias eles dependiam dos ciclos orientais ou tabulas, que eram baseados em outros, feitos anteriormente pelos alexandrinos. Ainda que por bastante tempo antes do século X eles soubessem que seus cálculos não estavam corretos, eles eram incapazes de melhorar sua medições porque ainda não tinham recebido dos árabes melhores instrumentos e teorias astronômicas.

Só ao final do século X o conhecimento do astrolábio árabe começou a penetrar no ocidente latino.”

.

[tradução minha]

.

.

Em: Early Medieval Society, ed. Sylvia L. Thrupp, New York:1967, artigo, Lotharingia as a Center of Arabic and Scientific Influence in the 11th century, de Mary Catherine Welborn, p.237





Imagem de leitura — Nicolai Fechin

28 02 2016

 

 

Nicolai Fechin, Portrait of N. V. SapozhnikovaRetrato de N. V. Sapozhnikova, 1915

Nicolai Fechin (Rússia, 1881-1955)

óleo sobre tela

Museu de Arte, Tatarstan, Kazan

 





Domingo, um passeio no campo!

28 02 2016

 

 

vasco machado Pereira FloridaPereira florida

Vasco Machado (Brasil, 1956)

óleo sobre tela





Domingo, um passeio no campo!

28 02 2016

 

José Pancetti, Beira do lago, 1944, ost, 54x65Beira do lago, 1944

José Pancetti (Brasil, 1902-1958)

óleo sobre tela, 54 x 65 cm





Flores para um sábado perfeito!

27 02 2016

RENATO MEZIAT (1952). Vaso Sangue de Boi com Rosas sobre a Mesa, óleo s tela, 100 X 75. Assinado no c.i.e e datado (2011) no versoVaso sangue de boi com rosas sobre a mesa,2011

Renato Meziat (Brasil, 1952)

óleo sobre tela, 100 x 75 cm





Rio de Janeiro, cidade olímpica!

26 02 2016

 

 

Lea Dray (Brasil, 1934) Família, 1990, ast, 54 x 65 cmFamília, 1990

Lea Dray (Brasil, 1934)

acrílica sobre tela, 54 x 65 cm





Nomes de mulheres…

25 02 2016

 

 

A queen, a monk, and a fabulous bag . Harley MS 4399, f. 22rUm monge, uma rainha, um tesouro

Iluminura em manuscrito

Harley MS 4399, f. 22r

 

 

Meu nome não é comum.  É um nome inglês, usado principalmente no final do século XIX e início do século XX.  Não é uma invenção de minha mãe como muitos imaginam.  Talvez por ter sido agraciada com um nome fora do comum, sempre prestei atenção a nomes.  O povo brasileiro é muito criativo quando se trata de prenomes para seus filhos.  Uma vez encontrei uma família em que todos os onze filhos tinham nomes que começavam com a letra Z.  Na falta, pegaram nomes comuns e substituíram algumas consoantes por Z.  Assim havia uma Zandra (Sandra) e uma Zezina (Regina).

Desde que fui seduzida pela história medieval coleciono nomes de mulheres.  Porque aos nossos ouvidos, os nomes das princesas e rainhas medievais soam muitas vezes tão esdrúxulos quanto os nomes da família com Z.

 

Conheço quem procura nomes para filhinhos ou netinhos aproveito então para postar alguns nomes medievais para consideração:

 

Aalis, Abril, Adalgisa, Adelaide, Adelinda, Adeline, Adeltrude, Ágata, Agnes, Alda, Aldara, Aldith, Aldreda, Alice, Aline, Alix, Amanda, Anabela, Antia, Arabela, Armena, Astrili, Aurora, Ava, Avelina

Bailessa, Basilea, Basina, Baudelia, Beata, Beatriz, Begga, Belinda, Berta, Bertilla, Blanche, Bodélia, Bogdana, Bonita, Branca, Brites, Brunilda

Cândida, Cassandra, Catalina, Cecília, Celestina, Célia, Clara, Clarice, Clemência, Columba, Constância, Cristina, Cristiana

Denise, Dionísia, Dominica, Dragoslava, Dubravka, Dulce, Dulcina

Edith, Eleonora, Elizabeth, Emília, Emma, Esmeralda, Etheldreda, Ermengarda, Eugênia, Evelina, Everilda

Fabíola, Fada, Fastrada, Felícia, Filipa, Fina, Flor, Floridia

Gadea, Garsea, Gelvira, Genoveva, Gerberga, Gertrudes, Gervinda, Gisela, Golda, Gundred

Helena, Heloísa, Herminone, Herrad, Hilária, Hilda, Hildegarde, Hiltrude

Ida, Idônea, Igulina, Inês, Isa, Isabel, Isolda

Jimena, Joana, Jocosa, Juliana, Julieta

Laura, Laurenza, Leandra, Leonor, Letícia, Letula, Lia, Linora, Liutgarde, Lívia, Lorena, Luella, Luanda, Luba, Lúcia, Ludmila

Madelgarda, Mafalda, Maiorina, Maria, Marion, Martina, Mécia, Mencia, Margaret, Margarida, Marsília, Martina, Matilda, Matilde, Melia, Miane, Milina, Militsa, Miloslava, Mira, Mirabela, Miroslava, Molle, Mor, Moyli, Muriel.

Nancy (diminutivo de Annis), Nerys, Nina, Norma

Odília,  Olívia, Osvalda,

Prudência, Petrônia, Petronilla, Primavera,

Rada, Radoslava, Raísa, Raquel, Regina, Rohese, Rohesita, Rosa, Rosalba, Rosalie, Rosalina, Rosamunde, Rosetta, Rosina, Roxane

Sabela, Sabina, Safira, Sancha, Sarah, Sence, Serafina, Sibil, Slava, Slavitsa, Sol, Stanislava, Stella, Suévia, Sunnifa, Sunniva, Suzana

Tânia, Tatiana, Teodora, Teodrada, Teofânia,Teresa, Tianna, Timothea, Tota

Urraca, Úrsula, Utta, Uxía (variação de Eugênia)

Vanda, Velma,Vilante, Violeta, Vitória, Vivili, Vrimia

Wulfrida

Xantho

Zafara, Zanna, Zenith, Zuzana

 

Considerando que muitas centenas de anos se passaram, é incrível o número de nomes medievais, dos anos 500 a 1400, que ainda sobrevivem.

 

 





Imagem de leitura — R. Kenton Nelson

25 02 2016

 

 

R. Kenton Nelson(EUA, 1954) Dias em casa, 2004, ost, 60 x 75cm, col partDias em casa, 2004

R. Kenton Nelson (EUA, 1954)

óleo sobre tela, 60 x 75cm

Coleção Particular





Sua vida daria um romance…

24 02 2016

 

Peter Samuelson, 1959, Bridget lendoBridget lendo

Peter Samuelson (Inglaterra, 1912-1996)

óleo sobre tela

 

 

 

 

Quanta gente encontro me diz que sua vida daria um romance?  Muita.  Ao saberem que estou envolvida com leitura, com a escrita, com revisão de textos e traduções parece que veem a porta do confessionário se abrir e à menor deixa desfilam o rosário de aventuras e desventuras que acumularam através dos anos.  Ainda que na maioria das vezes tenham, de fato, vivido momentos extraordinários, nem sempre o equilíbrio entre o que lhes aconteceu e o resto de suas vidas mereceria um relato cuidadoso.  Nunca soube o que dizer a esses interlocutores além de me colocar passivamente na escuta, por um questão de delicadeza e respeito ao outro.  Hoje, no entanto, encontrei esse trechinho fabuloso. Acho que vou decorá-lo para uso futuro.

 

 

“Toda vida é ao mesmo tempo, comum e excepcional — são as respectivas proporções de cada uma dessas categorias que irão fazê-la interessante ou insípida.” 

Em: As aventuras de um coração humano, William Boyd, Rio de Janeiro, Rocco: 2008, página 13

 








%d blogueiros gostam disto: