Escrita à mão x escrita impressa, por Ruth Ozeki

15 01 2017

 

brushwriting2Uma alta cortesã, 1794-5

[da série Cinco Tons de Tinta na área norte (Hokkoku goshiki Zumi)]

Utamaro Kitagawa (Japão, 1754-1806)

xilogravura policromada, tinta e cor sobre papel

Metropolitan Museum of Art, Nova York

 

 

“Letras impressas são previsíveis e impessoais, transmitindo informações numa transação maquinal com os olhos do leitor.
Letras de mão, em contrapartida, resistem aos olhos, revelam seus significados aos poucos e são pessoais como a pele.”

 

 

Em: A terra inteira e o céu infinito, Ruth Ozeki, Rio de Janeiro, Casa da Palavra:2014,tradução de Daniela P. B. Dias e Débora Landsberg,  página 18.

 

Salvar


Ações

Information

4 responses

15 01 2017
Paulo Araujo de Almeida

Isso é maravilhoso! Nunca deixemos de escrever à mão. A personalidade, o estado de espírito, fica também gravado!

15 01 2017
peregrinacultural

Paulo, conhecendo um pouco do seu trabalho e da sua visão, acho que você gostaria desse livro. É ficção que inclui zen-budismo, teoria das cordas e pensamento oriental. Achei fabuloso, e merecedor de uma nova leitura agora que acabei.

15 01 2017
Letícia Alves

Gosto de escrever a mão. Nos estudos do doutorado, tenho tentado sempre escrever as observações a mão, para só depois passar para o documento word.

15 01 2017
peregrinacultural

É muito prazeroso mesmo. Eu ainda gosto de lápis bem afiado! rs…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




%d blogueiros gostam disto: