O espelho, poesia de Geraldo Carneiro

7 07 2017

 

 

 

b7a56c34a359a0ed2ad0b7650ae72519Mulher ao espelho, 1948

Paul Delvaux (Bélgica, 1897-1994)

óleo sobre tela

Coleção Particular

 

 

O espelho

 

Geraldo Carneiro

 

do outro lado um estranho

faz simulações como se fosse

um demônio familiar

é sempre noite, um assassino sonha

com mulheres assassinadas em série

sob as palmeiras de Malibu

o mundo é só uma ficção plausível

a imagem que baila ao rés-da-lâmina

é um último e improvável vestígio

da existência de Deus

o resto são ecos de outras faces

gestos de espanto e despedida

a música dos relógios, a morte

 

Em:  Folias metafísicas, Geraldo Carneiro, Rio de Janeiro, Relume Dumará: 1995





Rio de Janeiro, minha cidade natal!

7 07 2017

 

 

ALUISIO VALLE (1906-1988). Rio de Janeiro visto por Niterói, óleo smadeira, 27 x 35. Assinado no c.i.d.

Rio de Janeiro visto de Niterói

Aluísio do Valle (Brasil, 1906 – 1988)

óleo sobre madeira, 27 x 35 cm








%d blogueiros gostam disto: