Mardi-Gras, Terça-feira Gorda!

5 03 2019

 

 

J. CARLOS (1884 - 1950) - Tempo de Carnaval, rara aquarela sobre cartão, capa da revista Fon-Fon, med. 35 x 22,5cm, assinada e localizada Rio.Tempo de Carnaval

J. Carlos (Brasil, 1884 – 1950)

aquarela sobre cartão (capa da revista Fon-Fon),  35 x 22 cm

 

 

 

Muitos já esqueceram que o Carnaval marcava originalmente um único dia.  A palavra Carnaval, de acordo com Antonio Houaiss,  é originária no latim clássico CARNEM LEVÁRE, ( “abstenção de carne”).  Essa expressão está presente em diversos dialetos italianos,  aparecendo na língua falada em Milão em 1130,  CARNELEVALE, aparecendo no italiano do século XIV como CARNEVALE.  Foi para o francês em 1552 como CARNEVAL e 130 anos mais tarde, em 1680 como CARNAVAL.  Nessa forma é adotada pelas outras línguas europeias, no século XVII.

Abstenção de carne?  Sim, porque é nesta terça-feira (e o Carnaval propriamente dito é terça-feira) que se encerra o período que antecede a Quaresma, compreendendo os 40 dias antes da Semana Santa e Páscoa. Ela se inicia na Quarta-feira de Cinzas e termina no Domingo de Ramos.  É observada por um grande número de cristãos: católicos, anglicanos, luteranos, metodistas.  Para seguidores dessas religiões cristãs  este período é de reflexão, abstinência e penitência e reflete os 40 dias que Jesus Cristo passou no deserto.  Inicialmente a celebração desse ritual data de meados do século IV (ano 350).

É por causa do início do período de abstenção, de penitência, de  sacrifícios que o Carnaval tomou este nome, afinal é o último dia permitido para exageros. Na quarta feira começa o tempo de reflexão e de despedida da carne.

Mardi-Gras é a expressão francesa para este dia: Terça-feira Gorda. Mardi em francês significa terça-feira, enquanto gras quer dizer gordura.   Mardi Gras é o último dia de se comer carne, comer alimentos gordos, mesmo que em muitos países europeus ainda se esteja no inverno, estação que requer alimentação mais rica.

—  —  —  —

Há uma famosa representação da Luta entre o Carnaval e a Quaresma, de 1559, na fascinante obra do pintor holandês do século XVI, Pieter Brueghel, o velho, (grafia também pode ser Bruegel).

 

Öèôðîâàÿ ðåïðîäóêöèÿ íàõîäèòñÿ â èíòåðíåò-ìóçåå Gallerix.ruO embate entre Carnaval e Quaresma, 1559

Pieter Brueghel, o Velho (Flandres [Bélgica], c. 1525- 30 — 1569)

óleo sobre painel de madeira, 118 x 164 cm

Museu de História da Arte de Viena, Áustria

 

DETALHE

 

Pieter_Bruegel_the_Elder-_The_Fight_between_Carnival_and_Lent_detail_3

Vejam que a batalha está travada entre o Gordo Carnaval, segurando um espeto cheio de carnes e a magra Quaresma, num carrinho puxado por religiosos.

 

Öèôðîâàÿ ðåïðîäóêöèÿ íàõîäèòñÿ â èíòåðíåò-ìóçåå Gallerix.ru

Senhor Carnaval, gordinho e montado num barril de vinho, segura espeto com carne de javali e outras carnes.  É seguido por serventes com copos e bandeja com comidas. Tudo à sua volta reflete abundância.

 

Öèôðîâàÿ ðåïðîäóêöèÿ íàõîäèòñÿ â èíòåðíåò-ìóçåå Gallerix.ru

Dona Quaresma, do outro lado, esquálida, vem num carrinho de madeira, com alguns pães a seus pés e segura uma chapa com peixes grelhados.  Seu carro é puxado por religiosos e seguido por pessoas com matracas, objetos usados na Sexta-feira Santa no lugar de sinos.

 








%d blogueiros gostam disto: