Imagem de leitura — Ellen Dreibelbis

18 03 2019

 

 

 

ellen-dreibelbis(eua) mexican-brothers-reading-ellen-dreibelbisIrmãos mexicanos lendo

Ellen Dreibelbis (EUA, 1946)

óleo sobre tela, 30 x 40 cm





Uma técnica milenar

18 03 2019

 

 

a216cb5969572811092c0b30e315e829Vida na montanha no outono, 1970

Zhang Daqian (China, 1899 -1983)

pergaminho montado e enquadrado, tinta e cor sobre painel dourado japonês

58 x 43 cm

Coleção Particular

 

Um dos mais colecionados artistas chineses nas últimas décadas, Zhang Daqian, nasceu na província de Sichuan, veio de família de artistas e foi com sua mãe e irmãos mais velhos que aprendeu a pintar. Seguiu o tradicional aprendizado copiando grandes mestres, e aos poucos favoreceu o conhecimento de dois grandes artistas chineses Shitao (1642-1707) e Bada Shanren (1626-1705). Em 1941 sua vida artística deu uma importante virada: foi estudar, acompanhado de outros artistas,  por dois anos consecutivos o mural de pinturas budistas nas cavernas de Mogao e Yulin em Dunhuang.  Este estudo o transformou em grande conhecedor e colecionador de arte.

Durante a Guerra Sino-Japonesa,  estudou a tradicional pintura de figuras Tang-Song e a antiga pintura de paisagem monumental. Aprendeu tecnicas que usaria mais tarde  em seu próprio trabalho, tornando-se particularmente conhecido por suas pinturas de lótus, inspiradas em obras antigas.

No entanto, na década de 1950, quando começou a ter um problema de visão, Zhang Daqian passou a utilizar a antiga técnica de pintura chinesa do espirro. Ou seja, depois de embeber o papel de sua aquarela com água, o pintor então espirra tinta que se espalha de maneira errática, mas mesmo assim ainda um tanto controlada pelo pintor.  E daquela “mancha” colorida no papel, o pintor então produz o trabalho dando-lhe dimensões, perspectivas e sentido.  De todos os seus trabalhos, estes são os mais valiosos.

Proibido de voltar à China desde 1949, por causa do clima político,  Zhang residiu em vários lugares, incluindo Mendoza, na Argentina, São Paulo, Brasil, Carmel, Califórnia até se estabelecer definitivamente em Formosa, onde faleceu.

A aquarela acima é um bom exemplo das cores se misturando para formar a montanha em que vemos em seu cimo uma pequena aldeia.  Todas as cores da montanha foram misturadas e trazidas à cena pela técnica do espirro. Para nós do Ocidente essa técnica lembra a dos expressionistas abstratos da década de 1950, onde o acaso (até certo ponto controlado) tem papel de importância no resultado final.

Há na internet diversos vídeos com o pintor Zhang Daqian demonstrando sua maneira de pintar.  Vale a pena procurar.

 

 





O escritor no museu: Charles Dickens

18 03 2019

 

 

 

Portrait_of_Charles_John_Huffman_Dickens

Charles Dickens, 1843

Margaret Gillies (Inglaterra, 1803-1887)

Aquarela e guache sobre marfim

 








%d blogueiros gostam disto: