Na boca do povo: escolha de provérbio popular

11 01 2020

 

 

da084-imageDeborah AzzopardiBlah, blah, blah, blah, 2012

Deborah Azzopardi (Grã Bretanha, 1958)

acrílica sobre painel, 99 x 99 cm

 

 

Palavra e pedra solta atrás não voltam.

 

 

 





Gemas da Arquitetura Carioca: Casa da Fazenda do Engenho D’Água

11 01 2020

 

 

 

Fotografada em 25 de setembro de 2014 por Eddie CordFotografada em 25 de setembro de 2014 por Eddie Cord

 

Exemplar representativo dos engenhos de açúcar do século XVIII, pertenceu  a um grande proprietário de terras da região, o Visconde de Asseca, Martim Correa de Sá, ( O rei do açúcar da velha baixada de Jacarepaguá). É uma construção localizada no bairro de Gardênia Azul, em Jacarepaguá, RJ, RJ.  Apesar de tombada pelo Patrimônio Histórico (IPHAN) em 1938, ainda é propriedade particular.

Trata-se de um casarão branco de dois andares de portas e janelas azuis. Bom exemplo de construção colonial rural. Note-se o alpendre colunado.  Era, provavelmente, uma construção simétrica, que perdeu os traços originais, como vemos hoje, com a adição de uma capela para a família à esquerda da fachada original.  Note também escada que se abre em forma de curva e azulejos que decoram o espelho da escada de acesso.

Só os jardins podem ser acessados pelo público, já que a propriedade é particular.

 

10494588_1419749371684414_4781198569063797476_n





Flores para um sábado perfeito!

11 01 2020

 

 

 

AUREA DE SOUZA PAIVA (1946), o.s.t. Hortensias, 50 x 40 cm.Hortênsias

Áurea Bertacchini de Souza Paiva (Brasil, 1946)

óleo sobre tela





O xale da avozinha, poesia de Stella Leonardos

11 01 2020

 

 

 

MARIA VASCO (1879-1965). Contemplando a Paisagem, aquarela, 35 X 25.Contemplando a Paisagem

Maria Vasco  (Brasil, 1879-1965)

aquarela, 35 X 25 cm

 

 

O xale da avozinha

 

Stella Leonardos

 

Ela foi. Não volta mais.

Entre as relíquias saudosas

Seu xale.  Dos orientais.

Mil e uma noites sedosas.

Xale cheio de gazais,

De rouxinóis e de rosas.

. . . . . . . . . . . . . . . . . . .

Ela que não sofre mais

O peso de horas penosas,

Ela que amava os gazais

E as noite maravilhosas

— Quem sabe descansa em paz

Entre os rouxinóis e as rosas.

 

Em: Pedra no Lago, Stella Leonardos, Rio de Janeiro, Livraria São José:1956, p. 65

 

 

 





Imagem de leitura — Steven Christopher Seward

11 01 2020

 

 

 

Steven Christopher Seward (EUA, 1958) Lição de anatomia, ostLição de anatomia

Steven Christopher Seward (EUA, 1958)

óleo sobre tela








%d blogueiros gostam disto: