Pintora e mulher: Diana de Rosa

3 05 2021

Santa Ágata

Diana de Rosa* (Nápoles, 1602-1643)

óleo sobre tela, 61 x 52 cm

 

*chamada Anella de Massimo





Medo do escuro, poesia de Helena Lima

3 05 2021
Noite, ilustração de Yan Nascimbene

 

Medo de escuro

 

Helena Lima

 

Era uma vez a Lua.

Ela tinha medo do escuro.

Era uma vez o Céu.

Ele também tinha medo do escuro.

A Lua pedia emprestada a luz do Sol.

Ele emprestava, às vezes.

O Céu pedia para a Lua acender.

Ela acendia quando podia.

Se o Sol estivesse de bom humor,

a Lua ganhava luminosidade em trezentos e sessenta graus.

Mas quando o mar não estava para peixes e o Sol não estava para estrelas,

não emprestava nada.

Nadinha.

E o Céu ficava escuro.

Escurinho.

A Lua sentia calafrios.

O Céu sentia solidão.

O medo da Lua era de cair e morrer no mar.

O medo do Céu era de fechar e não voltar a clarear.

Um dia, Céu e Lua decidiram:

“Pra acabar com o escuro e a solidão, a gente vai se casar”.

Desde então, os dois passam  o dia inteirinho

contando os  minutos para o Sol se retirar.

 

Em: Amores virados pra cá, Helena Lima e Isabelle Borges, Rio de Janeiro, Lago Baikal: 2019, p. 130








%d blogueiros gostam disto: