O mundo animal de Henriette Ronner-Knip

9 06 2020

 

 

800px-Henriëtte_Ronner-Knip_-_Hide_and_seek, 1909. 0stEsconde-esconde, 1909

Henriette Ronner-Knip (Holanda, 1821 -1909)

óleo sobre madeira, 24 x 32 cm

 

playtime-henriette-ronner-knipHora do recreio, s.d.

Henriette Ronner-Knip (Holanda, 1821 -1909)

aquarela sobre papel

 

Kittens At PlayGatinhos brincando, 1898

Henriette Ronner-Knip (Holanda, 1821 -1909)

óleo sobre tela, 91 x 73 cm

 

mothers-pride-2-henriette-ronner-knipOrgulho de mãe, 1901

Henriette Ronner-Knip (Holanda, 1821 -1909)

 

800px-Henriëtte_Ronner-Knip_-_KatjesspelGato jogador, c. 1878

Henriette Ronner-Knip (Holanda, 1821 -1909)

óleo sobre madeira, 32 x 45 cm

Rijksmuseum, Amsterdã

 

the-musicians-henriette-ronner-knipOs músicos

Henriette Ronner-Knip (Holanda, 1821 -1909)

aquarela

 

Hampel-78163007Gatinhos brincalhões

Henriette Ronner-Knip (Holanda, 1821 -1909)

aquarela sobre papel

 

De_Pianoles_door_Henriëtte_Ronner-KnipA lição de piano, 1897

Henriette Ronner-Knip (Holanda, 1821 -1909)

óleo sobre madeira, 33 x 44 cm

Teylers Museum, Haarlem, Holanda

 

2012_NYR_02547_0024_000(henriette_ronner-knip_a_mother_cat_and_her_kitten_with_a_bracket_clock)Mamãe gata e seu filhote, ao lado de relógio, 1897

Henriette Ronner-Knip (Holanda, 1821 -1909)

óleo sobre tela, 90 x 72 cm

 

Henriette Ronner-Knip Two kittens playing with a basket. Oil on wood. 24 x 32.5cmDois gatinhos, uma cesta e um molho de chaves

Henriette Ronner-Knip (Holanda, 1821 -1909)

óleo sobre madeira, 24 x 32 cm

 

2017_CSK_14415_0050_000(henriette_ronner-knip_kittens_at_play)Filhotes brincando

Henriette Ronner-Knip (Holanda, 1821 -1909)

óleo sobre papel colado em madeira,  46 x 65 cm

 

H0027-L03089486A caixa de charutos

Henriette Ronner-Knip (Holanda, 1821 -1909)

óleo sobre madeira, 33 x 45 cm

 

H0046-L00404801Dois gatinhos e uma xícara de chá, 1905

Henriette Ronner-Knip (Holanda, 1821 -1909)

óleo sobre madeira, 24 x 32 cm

 

2016_CKS_12228_0015_000(henriette_ronner-knip_a_mother_with_her_playful_kittens_watched_over_b)Uma mãe com seus filhotes observada por um terrier

Henriette Ronner-Knip (Holanda, 1821 -1909)

óleo sobre madeira, 33 x 44 cm

 

Hampel-82058001Um gatinho e uma mosca, 1893

Henriette Ronner-Knip (Holanda, 1821 -1909)

óleo sobre madeira, 16 x 27 cm





Natureza maravilhosa: barbete do Kênia

1 06 2020

 

 

red and yellow barbet kenya

 

Barbete vermelho e amarelo do Kênia( Trachyphonus erythrocephalus ) é um pássaro encontrado na África oriental.  Sua plumas parecem fazer desenho de bolinhas brancas sobre fundo negro, papo amarelo e cabeça vermelha. Machos e fêmeas têm o mesmo desenho, mas nas fêmeas as cores são menos fortes.  Eles se alimentam de sementes, frutas e invertebrados.

 





Natureza maravilhosa: galinha polonesa de topete

8 10 2018

 

 

 

galinha polonesa de topeteGalinha polonesa de topete, foto: cynoclub/Shutterstock

 

 

A galinha polonesa de topete é uma raça europeia de galinhas com crista, conhecida por sua notável crista de penas. Os relatos mais antigos dessas aves vêm da Holanda; mas suas origens exatas são desconhecidas. Elas são adornados com grandes cristas que quase cobrem a totalidade da cabeça.

 

Polonesa_Dourada_Galinha_Ornamental_Fazenda_Visconde_012

 

Esta crista limita sua visão e, como resultado, pode afetar seu temperamento. Assim, embora normalmente mansas, elas podem ser tímidas e se amedrontam com facilidade.

São criadas principalmente como aves de exibição, mas originalmente eram criadas para a produção de ovos de consumo, que são ovos brancos. Há galinhas dessa variedade barbudas, sem barba e com penas crespas.

 

Polonesa_Preta_de_Topete_Branco_Galinha_Ornamental_Fazenda_Visconde_003

 

Seu porte é médio.  Machos podem atingir a altura de 45 cm e pesar 2,5 Kg.  Fêmeas chegam a 40 cm  de altura e aos 2 Kg. Cada animal coloca põe cerca de 150 ovos por ano.





Filhote fofo!

5 03 2017

 

 

polar-bear-cubFilhote de urso polar!




O gato, poesia de Marina Colasanti

7 11 2016

 

 

vicente-do-rego-monteiro-oleo-sobre-tela-gato-com-bola-med-65x80

Gato com bola

Vicente Do Rego Monteiro (Brasil, 1899-1970)

óleo sobre tela,  65 X 80 cm

 

 

O Gato

 

Marina Colasanti

 

No alto do muro

pulando no escuro

miando no mato

entrando em apuro

é o gato, seguro.

 

De antigo passado

e jeito futuro

movimento puro

ar sofisticado

é o gato, de fato.

 

Só pode ser gato

esse bicho exato

acrobata nato

que só cai de quatro.

Salvar





Natureza Maravilhosa — Porco espinho

18 08 2014

 

porcoespinho brasileiro

 

Seus espinhos são pêlos duros modificados e podem alcançar até 10 cm de comprimento. Estão presentes na cabeça, pernas e parte anterior da cauda. Nome científico: Coendou prehensilis. Está ameaçado de extermínio na natureza. Tem uma cauda longa que chega ao comprimento de 30 a 57 cm. Em geral o porco-espinho pesa por volta de 4 Kg, e chega a 54 cm de comprimento. Ele come sementes de frutos, cocos, cascas de árvores e folhas. Anda sozinho e gosta de sair à noite. Vive cerca de 10 anos.





Natureza maravilhosa — caracol de lábios brancos

27 10 2013

Yellow-Snail-423x550Foto: Wikipedia

Este é o caracol de lábios brancos, (Cepaea hortensis). É um molusco terrestre de tamanho médio que habita a Europa Ocidental e Central.   Mais informações veja White-lipped snail.





Filhotes fofos — Zebrinha

9 09 2013

babyzebraZebrinha recebe carinhos da mamãe.




Divertimento, poesia de Henriqueta Lisboa

17 09 2012

Ilustração Elizabeth Webbe, 1963.

Divertimento

Henriqueta Lisboa

O esperto esquilo

ganha um coco.

Tem olhos intranquilos

de louco.

Os dentes finos

mostra. E em pouco

os dentes finca

na polpa.

Assim, com perfeito estilo,

sob estridentes

dentes,

o coco, em segundos, fica

oco.

Em: Nova Lírica: poemas selecionados, Henriqueta Lisboa, Belo Horizonte, Imprensa Oficial: 1971





A raposa furta e a onça paga, fábula brasileira, texto de Câmara Cascudo

5 03 2012

Ilustração de uma outra fábula da coletânea de Perry.

A raposa furta e a onça paga

A raposa viu que vinha vindo um cavalo carregado com cabaças cheias de mel de abelhas.  Mais que depressa deitou-se no meio da estrada, fingindo-se de morta.  O tangerino parou e achou o bicho muito bonito.  Não tendo tempo de esfolar, para aproveitar o pelo, sacudiu a raposa no meio da carga e seguiu viagem.  Vai a raposa e se farta de mel, pulando depois para o chão e ganhou o mato.  O homem ficou furioso mas não viu mais nem a sombra da raposa.

Dias depois a raposa encontrou a onça que a achou gorda e lustrosa.  Perguntou se ela descobrira algum galinheiro.

— Qual galinheiro, camarada onça, minha gordura é de mel de abelha que dá força e coragem.

— Onde você encontrou tanto mel?

— Ora, nas cargas dos camboeiros que passam pela estrada.

— Quer me levar, camarada raposa?

— Com todo gosto.  Vamos indo…

Levou a onça para a estrada, depois de muita volta, e ensinou a conversa.  A onça deitou-se e ficou estirada, dura, fazendo que estava morta.  Quando o comboeiro avistou aquele bichão estendido na areia, ficou com os cabelos em pé e puxou logo pela sua garrucha.  Não vendo a onça bulir, aproximou-se, cutucou-a com o cabo do chicote e gritou para os companheiros:

— Eh lá!  Uma onça morta!  Vamos tirar o couro.

Meteram a faca com vontade na onça que, meio esfolada, ganhou os matos, doida de raiva com a arteirice da raposa.

Em: Contos tradicionais do Brasil (folclore), Luís da Câmara Cascudo, Rio de Janeiro, Edições de Ouro: 1967

——-

Como Câmara Cascudo lembra essa fábula é muito conhecida na Europa, tanto na península ibérica como no norte da Europa, como na Rússia.  A versão mais popular no entanto é da raposa e do lobo.  A raposa faz o mesmo, finge-se de morta e é jogada numa carroça de peixes.  Farta-se com os peixes…  Daí por diante segue exatamente igual só que no lugar da onça brasileira, temos o lobo, que imita as ações da raposa e se dá mal.








%d blogueiros gostam disto: