Imagem de leitura — Brian James Dunlop

8 08 2019

 

 

 

Brian James Dunlop (Australia, 1938-2009)Jovem em azul,ost, 64 x83Jovem em azul

Brian James Dunlop (Austrália, 1938 – 2009)

óleo sobre tela,  64 x 83 cm





Imagem de leitura — Lyn Fabian

8 05 2019

 

 

 

lyn fabian, (Austrália, contemp) time-out,Hora do descanso

Lyn Fabian (Austrália, contemporânea)

técnica mista

 





Imagem de leitura — Albert Lee Tucker

22 03 2019

 

 

 

 

retrato de molly o_ dea, 1937Retrato de Molly O’ Dea, 1937

Albert Lee Tucker (Austrália, 1914-1999)

Óleo sobre papelão,  57 x 47 cm





Em três dimensões: Bert Flugelman

14 03 2019

 

 

 

 

Bert Flugelman Cones 1976-82 polished stainless steel Collection of the National Gallery of Australia © Bert FlugelmanCones, 1982

Bert Flugelman (Áustria-Austrália, 1923 – 2013)

aço inoxidável polido, 4,5 m de altura x 20, 5 m largura x 4, 5 m

National Gallery of Austrália, Canberra

 

 

IMG_6313





Imagem de leitura — Brian James Dunlop

19 02 2018

 

 

 

Brian James DunlopNo âmago da biologia

Brian James Dunlop (Austrália, 1938 – 2009)

óleo sobre tela,  54 x 34 cm





Resenha: “Os criadores de coincidências”, Yoav Blum

4 01 2018

 

 

John Brack, Jack, Queem and KingValete, dama, rei, 1989

John Brack (Austrália, 1920 – 1999)

óleo sobre tela, 106 x 136 cm

 

 

 

Os criadores de coincidências de Yoav Blum, tradução de Fal Azevedo,  é um livro divertido, uma mistura de thriller e romance; leitura rápida, inconsequente, amena.  É um dos maiores sucessos de vendas em Israel, traduzido e publicado no Brasil antes mesmo de atingir o mercado americano, onde será lançado em março de 2018.

Produzir coincidências é o trabalho de três agentes Guy, Eric e Emíly que recebem ordens para produzirem coincidências na vida de pessoas comuns.  Estas ordens aparecem de maneira misteriosa, indicando a existência de uma organização maior, acima de todos nós simples mortais, onisciente, toda poderosa, com poderes de influenciar diretamente nos nossos destinos.  A partir daí esses agentes, treinados na tal organização, usam de análises matemáticas e complexos projetos, para construir diversos eventos que em cadeia levam a um acontecimento final quando duas ou mais partes se encontram.

 

OS_CRIADORES_DE_COINCIDENCIAS_1502753037705258SK1502753037B

 

A ideia é interessante e divertida. Depois desta leitura você vai pensar duas vezes quando perder um documento num táxi, quando manchar sua camisa com café depois de esbarrar num obstáculo, e certamente jamais achará que existem encontros casuais com conhecidos ou desconhecidos.  Mas houve momentos em que tive a impressão de que o autor estava particularmente orgulhoso de sua obra, e que lhe faltou um bom editor, para ajudá-lo a reduzir algumas ideias bastante astutas.  Os capítulos dedicados às cartilhas dos agentes, às regras a que se submetem, são pela primeira vez que aparecem, e interrompem a narrativa, uma curiosidade repleta de humor, mas quando a história é interrompida mais de uma vez por esses capítulos, temos um  artifício cansativo na composição da história.

 

814NwHfh3YL._UX250_Yoav Blum

 

Através desta leitura tive a sensação de estar acompanhada do espírito do filme Agentes do Destino (2011), com Matt Damon e Emily Blunt, baseado no conto do escritor de ficção científica já falecido PKD [Philip K. Dick] Adjustment Team, originalmente publicado em 1954.  Não conheço o conto.  Mas vi o filme mais de uma vez, já que é uma das minhas comédias românticas favoritas. Não se trata de cópia, mas a ideia é semelhante.

Se você precisa de distração, este pode ser o livro ideal para colocar na mala e ler nas férias, depois da piscina ou numa rede à beira-mar. É uma leitura leve, divertida, sem consequências, um pouco de mistério, um pouco de romance. Agradável.

 

 

NOTA: este blog não está associado a qualquer editora ou livraria, não recebe livros nem qualquer incentivo para a promoção de livros.





Imagem de leitura — Christine Reilly

20 06 2017

 

 

Christine Reilly (Australia, contemporanea) Free Time,o e acr sobre tela, 50 x 60cmHora de lazer

Christine Reilly (Austrália, contemporânea)

óleo e acrílica sobre tela, 50 x 60 cm








%d blogueiros gostam disto: