Rio de Janeiro à beira da Guanabara!

15 03 2019

 

 

 

INSLEYPACHECO(1830 - 1912)Paisagem noturna na Baia de Guanabara no séc.xix, guache, 21 x 41Paisagem noturna na Baia de Guanabara no séc. XIX

Insley Pacheco (Brasil, 1830 – 1912)

guache, 21 x 41 cm





Rio de Janeiro, de norte a sul!

23 02 2018

 

 

FRANCISCO COCULILO - Vista noturna da Baía de Guanabara, O.S.T,Rio, 34x48 cm.Vista noturna da baía de Guanabara

Francisco Coculilo (Brasil, 1893-1945)

óleo sobre tela, 34 x 48 cm





Nossas cidades: Niterói

13 02 2017

 

 

 

estevao-silva-1844-1894-pedra-de-itapuca-niteroi-oleo-smadeira-ass-e-datado-cid-39-x-65-cm

Pedra de Itapuca, Niterói, 1939

Estevão Silva (Brasil, 1844 – 1894)

óleo sobre madeira,  39 x 65 cm

 





Nossas cidades — Niterói

31 10 2016

 

 

alcy-vianna-pedra-de-itapuca-niteroi-o-s-t-assinado-no-canto-inferior-direito-40x55-cmPedra de Itapuca, Niterói

Alcy Vianna (Brasil, 1937)

óleo sobre tela, 40 x 55 cm





Rio de Janeiro, cidade olímpica!

13 05 2016

 

 

JOÃO TIMÓTEO DA COSTA (1879-1932). Barcos Atracados no Cais Pharoux-Rio, óleo s madeira, 17 x 23. Assinado, datado (1904) e localizado (Rio) no c.i.e.Barcos atracados no Cais Pharoux- RJ, 1904

João Timóteo da Costa ( Brasil, 1879-1932)

óleo sobre madeira, 17 x 23 cm





Rio de Janeiro, comemorando 450 anos!

23 01 2015

 

 

Marie Nivoliers de Pierrefort (1879-1968), Outeiro da Glória, RJ, ost, 100x108cmOuteiro da Glória, década de 1950

Marie Nivouliès de Pierrefort (França/Brasil, 1879-1968)

óleo sobre tela, 100 x 108 cm

 





Sob o esplendor do céu da Guanabara, poema de Rômulo C. Wanderley

20 01 2015

 

ARAUJO LIMA - Baia da Guanabara, vista do Morro Dona Marta óleo sobre tela, 32X44cmBaía de Guanabara vista do Morro D. Marta, s/d

Araújo Lima (Portugal/Brasil, 1883-1958)

óleo sobre tela, 32 x 44 cm

 

 

Sob o esplendor do céu da Guanabara

 

Rômulo C. Wanderley

 

 

Seria para mim uma aventura rara

se o Destino, ficando mais amigo,

deixasse contigo

viver, tranquilamente, o nosso amor,

sob o edênico esplendor

do céu da Guanabara.

 

Céu azul, que recorda o Norte do Brasil,

e, às vezes, a manhãs da fria Escandinávia…

E como um artista apaixonado, eu traçaria

o teu gracioso perfil

junto à Pedra da Gávea.

 

Depois,

bem felizes os dois,

inebriados diante da paisagem,

e ardendo ao calor desse profundo amor,

cairíamos febris, em frente ao mar,

para amar…

para amar…

 

Rio – Novembro 1950

 

Em: Panorama da Poesia Norte- Rio-Grandense, Rômulo C. Wanderley, Rio de Janeiro, Edições do Val: 1965, p. 83








%d blogueiros gostam disto: