Bem-vindo, inverno!

22 06 2017

 

 

winterlaPaisagem de inverno

Hendrick Avercamp (Holanda, 1585-1634)

óleo sobre madeira,  29 x 46 cm

Kunsthistorisches Museum, Viena

 

 

winterla1Paisagem de inverno com patinadores em lago congelado

Anthonie Beerstraten (Holanda, 1635 – 1665)

óleo sobre tela, 102 x 127 cm

Coleção Particular

 

 

01januar

Caçadores na neve, [Janeiro]*, 1565

Pieter Brueghel, o velho (Flandres, 1525-1569)

óleo sobre madeira, 117 x 162 cm

Kunsthistorisches Museum, Viena

*  da série dos doze meses dos quais só se conhece cinco

 

 

birdtrapPaisagem de inverno com arapuca

Pieter Brueghel, o jovem (Flandres, 1564 – 1638)

óleo sobre madeira, 40 x 57 cm

Museu do Prado, Madrid

 

 

corint13Inverno em Walchensee, 1923

Lovis Corinth (Alemanha, 1858-1925)

Óleo sobre tela,  70 x 90 cm

Städelsches Kunstinstitut, Frankfurt

 

 

210friedFalésias de giz em Rügen, c. 1818

Caspar David Friedrich (Alemanha, 1774 – 1840)

óleo sobre tela, 90 x 71 cm

Oskar Reinhart Collection, Winterthur

 

 

2martin6Paisagem de inverno, efeito neve, 1888

Paul Gauguin (França, 1848-1903)

óleo sobre tela, 72 x 92 cm

Konstmuseum, Gothenburg





Minutos de sabedoria: Schopenhauer

9 08 2015

 

 

Caspar_David_Friedrich_-_Wanderer_above_the_sea_of_fogO viajante sobre um mar de nuvens, 1818

Caspar David Friedrich (Alemanha, 1774-1840)

óleo sobre tela, 98 x 74 cm

Kunsthalle Hamburgo, Alemanha

 

 

“Quem não ama a solidão, não ama a liberdade.”

 

schopenhauerSchopenhauer (1788-1860)




A cortina, poesia de Maria Thereza de Andrade Cunha

13 10 2014

 

Caspar David Friedrich, Woman at the Window (1822) oil on canvas, 44 x 73 cm (Alte Nationalgalerie, Berlin).Moça à janela, 1822

Caspar David Friedrich (Alemanha, 1774-1840)

óleo sobre tela, 44 x 73 cm

Alte Nationalgalerie, Berlim

 

 

A cortina

 

Maria Thereza de Andrade Cunha

 

 

Quando a rua em que moro tu subias,

Por detrás da cortina eu te esperava;

E passavas sorrindo, pois bem vias

Que a cortina de rendas ondulava…

 

Como foram felizes esses dias

Em que meu coração se alvoroçava,

Quando longe passavas, e sabias

Que eu, de longe, te via… e te adorava!

 

Deixaste de passar à minha porta.

Da cortina rasgaram-se os babados.

— O tempo, rendas e esperanças corta! —

 

. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .  . . . . . . . . . .

 

Foi trocada a cortina da janela!

A nova é toda  feita de bordados

… Mas, eu gostava muito mais daquela…

 

 

Em:  É primavera… escuta., Maria Thereza de Andrade Cunha, Rio de Janeiro, 1949, p.49-50.








%d blogueiros gostam disto: