Bibliotecas e eleitores, José Eduardo Agualusa

6 11 2017

 

 

Anderson, Stephen TriuirEithne (Three Enyas), 1998As três Ênias, 1998

Steven Warde Anderson (EUA, 1953)

Guache, caneta, lápis sobre painel de ilustração,  60 x 100 cm

Rockford Art Museum, Illinois, EUA

 

 

“Bibliotecas nunca desiludem. Um bom leitor é um eleitor mais informado e responsável; formando leitores estamos também desenvolvendo a empatia e o interesse pelo outro. A longo prazo esse esforço irá traduzir-se numa sociedade mais exigente, mais interventiva e, por extensão, numa classe política um pouco menos bruta do que a atual.”

 

Em: “Sobre livros e revoluções“, José Eduardo Agualusa, O GLOBO, 06/11/2017, Segundo Caderno, página 2





Dois tipos de escritores, José Eduardo Agualusa

11 04 2017

 

 

Metro Darren ThompsonO Metro

Darren Thompson (EUA, contemporâneo)

óleo sobre tela colada em placa, 30 x 40 cm

Coleção Particular

 

 

“Os escritores podem dividir-se entre aqueles que dizem sofrer enquanto escrevem e os que afirmam divertir-se. Podem também dividir-se entre os que escrevem para saber como termina a história que começaram, e os que só se sentam para escrever depois que desenharam, dentro da cabeça, a estrutura inteira do romance e definiram o enredo, ao mínimo pormenor.”

 

 

Em: “A melancolia do criador depois do fim”, José Eduardo Agualusa, O Globo, 03/04/2017, 2º caderno, página 2.

Salvar





A chamada do escritor, José Eduardo Agualusa

22 02 2017

 

 

 

gevork-kotiantz-russia-1906-1996-estudante-1969-ost-100-x-100-cm

Estudante, 1969

Gevork Kotiantz (Rússia, 1906-1996)

óleo sobre tela, 100 x 100 cm

 

 

“Imagino que, pesquisando, seja possível encontrar, para cada romancista, o episódio fundador da sua escrita: o distante relâmpago, a pequena humilhação, um primeiro amor impossível, a mãe controladora, um crime íntimo, a morte do pai.

Todos nós gostaríamos de saber de que selva fabulosa saíram os tigres de Jorge Luís Borges; de que ruínas barrocas ou jardins perfumados emergiram as baratas de Júlio Cortázar ou as belas ninfetas e mariposas (serão a mesma coisa?) de Vladimir Nabokov. Não creio que o segredo da criação se esgote nesse conhecimento, e nem me parece que tal fosse desejável. Talvez tenha até o efeito contrário, levando-nos a reler os livros que mais amamos e que mais nos marcaram, e a encontrar nessa releitura novos e mais profundos mistérios.”

 

 

Em: “Um relâmpago que atravessa vidas”, José Eduardo Agualusa, O Globo, 20/02/2017, 2º caderno, página 2.

 

 

 





De leitura e raça, texto de José Eduardo Agualusa

4 07 2016

 

 

Henry Lee Battle (American) Girl reading, 2002Menina lendo, 2002

Henry Lee Battle (EUA, contemporâneo)

www.henryleebattle.com

 

 

“Esta deveria ser a questão central: por que não há mais negros nas plateias? A verdade é que continua a existir uma linha de cor separando aqueles que no Brasil têm acesso ao livro e a vasta maioria da população. Para formar escritores é preciso primeiro formar grandes leitores. Se queremos formar bons escritores negros teremos primeiro de formar muitos milhões de leitores negros.”

 

Em: “O arraial da branca atitude”, José Eduardo Agualusa, O Globo, 04/07/2016, 2º caderno, página 2.

 

O arraial da branca atitude.

Salvar

Salvar

Salvar





Imagem de leitura — Linda Apple

11 04 2015

 

 

6 Apple, Linda The daily news, 2008Diário de notícias, 2009

Linda Apple (EUA, contemporânea)

óleo sobre tela, 15 x 15 cm

www.applearts.com





Sempre bom lembrar: os direitos do leitor

16 01 2013

heide e presse_quiet_hoursAF2908268A4E

Hora do silêncio, s/d

Heidi E. Press (Alemanha/EUA, contemporânea)

óleo sobre tela,  60 x 50 cm

www.heidepress.com

DIREITOS DO LEITOR

1. O direito de não ler.
2. O direito de pular páginas.
3. O direito de não acabar um livro.
4. O direito de reler.
5. O direito de ler não importa o quê.
6. O direito de confundir um livro com a vida real.
7. O direito de ler em qualquer lugar.
8. O direito de ler trechos do meio do livro.
9. O direito de ler em voz alta.
10. O direito de não falar sobre o que se leu.

Daniel Pennac

Em, Como um romance, publicado em 1992





7 de janeiro — O Dia do Leitor

7 01 2012

Ilustração Susanne Berner Rotraut.

Bem aqui na Peregrina somos leitores todos os dias.  Todo dia é 7 de janeiro!  Mas essa data vale uma comemoração especial!  Assim, coloquei aqui algumas charges interessantes.  Divirtam-se!

Poderia lhe contar muito mais sobre você, se ao invés de ler a sua palma eu lesse os seu Palm Pilot.

E esse livro é bom?

Leitura extrema.

Essa droga de livro é quentinho, Bob?  É macio e peludo?  Ele ronrona quando você o coloca nos seus grandes e fortes braços?





Imagem de leitura — Frank Wright

13 09 2011

Retrato de Clarice Smith, 1978

Frank Wright ( EUA, contemporâneo)

óleo, 63 x 75cm

http://www.gwu.edu/~fwright/

 

 

Frank Wright  é professor de pintura e desenho tanto na George Washignton University, como na Corcoran Gallery ambas no Distrito de Columbia, capital dos EUA.  Estudou por um longo período em Paris, com S. W. Hayter.  Pintor figurativo, tem predileção por retratos e paisagens. Para ver seu trabalhos:

http://www.gwu.edu/~fwright/





Imagem de leitura — Frederic Soulacroix

21 03 2011

Uma senhora em seu descanso, s/d

Frederic Soulacroix (Itália, 1858-1933)

óleo sobre tela

Charles Joseph Frederic  Soulacroix  nasceu em 1858 na Itália.  Foi aluno de Ramney, Cornelius e de Dumont. Enrou para a Escola de Belas Artes em 1845 e fez sua primeira exposição  no Salon de Paris em 1849.  Considerado um pintor da classe média, sabia dar um lustre especial à variedade de texturas dos tecidos refinados de suas modelos.  Um retratista e um pintor de gênero que se excedeu ao transportar para suas telas belas cenas de interior.  Faleceu em 1933.





Imagem de leitura — Sandro Corradin

11 03 2011

O leitor, 2007

Sandro Corradin ( Brasil, 1965)

acrílica sobre tela, 80 x 75 cm

—–

—-

Sandro Corradin (Ibiúna, SP, 1965)  Mora e trabalha em Jundiaí onde tem seu ateliê. Depois de freqüentar a faculdade de arquitetura em Campinas, dedica-se à pintura e participa de salões de arte contemporânea em Piracicaba e Santo André, entre outros.  Realiza uma exposição individual na Itália e participa de várias exposições coletivas na Itália e no Brasil. Tem quadros em coleções particulares nos dois países.








%d blogueiros gostam disto: