Noite de Natal – Poema de P. de Petrus

10 12 2008

presepio-candido-portinari-1931-desenho-a-aquarela-e-nanquim-bico-de-pema-papel-36-x-57-col-part

Presépio, 1931

Cândido Portinari (Brasil 1903-1962)

Desenho a aquarela e nanquim sobre papel

36 x 57 cm

Coleção Particular

 

 

 

 

 

 

Noite de Natal

 

                                         P. de Petrus

 

 

Noite santa de esplendores,

Noite feliz e divina,

Em que os piedosos pastores

Dizem preces em surdina.

 

A voz dos anjos cantores,

Em suave coro se afina.

São cantos de mil amores

Que o Criador lhes ensina.

 

Vendo o presépio tão nobre.

O céu de estrelas se cobre,

Cobre-se a terra de luz.

 

E ante os olhos de Maria,

Cheios de amor e alegria,

Nasce o Menino Jesus…

 

 

Pedro Bandettini, cognome P. de Petrus (SP 1920 – SP 2000)

 

 

 

Obras:

 

Paisagens Poéticas, 1970

 

Pensamentos Poéticos , 1975

 

Meu Canteiro de Trovas, 1984

 

 ————-

 

CURIOSIDADE:

 

A aquarela selecionada para ilustrar este poema, foi imagem escolhida pelos Correios e Telégrafos do Brasil e impressa pela Casa da Moeda do Brasil, para selo de Natal do ano de 2002, no valor de R$0,45.

 

 

portinari-selo-brasil-2002

 

 

 





A Primavera — poema de P. de Petrus

12 10 2008

Ilustração de Rebecca Peed

A primavera

 

P. de Petrus

 

 

Primavera!  A Natureza,

Agora em nova roupagem,

Traz às plantas mais beleza,

Deita perfumes na aragem.

 

A colina é uma princesa

Dentro da mata selvagem.

Já não existe a tristeza

No sorriso da paisagem.

 

O sol, dourando o horizonte,

Cobre de beijos a fonte

E também a flor que o espera…

 

E o cantar dos passarinhos,

Quebrando a calma dos ninhos

Vem saudar a Primavera.

 

Pedro Bandettini, cognome P. de Petrus (SP 1920 – SP 1999)

 

Obras:

 

Paisagens Poéticas, 1970

Pensamentos Poéticos , 1975

Meu Canteiro de Trovas, 1984








%d blogueiros gostam disto: