Esmerado: Relógio de mesa Fabergé

3 02 2020

 

a_jewelled_guilloche_enamel_silver-gilt_desk_clock_marked_faberge_with)

 

Relógio de mesa finamente decorado com esmalte sobre prata, 1890

Artesão: Michaek Perchin

Numerado, 17,5 cm de largura

Marcado Fabergé, São Petersburgo

 

Moldura em semicírculo, esmaltado em verde limão a toda volta, com mostrador em esmalte branco, números arábicos e ponteiros em ouro. Decoração colmeia, com pérolas minúsculas aplicadas aos pontos de junção e rosas em prata em intervalos, acentuadas por esmalte em vermelho e verde.





Imagem de leitura — Ilya Repin

29 01 2020

 

 

 

6f3a4de002c146a31580a3a1bfc22524Retrato de Vera Repina, esposa do pintor, lendo, 1882

Ilya Repin (Rússia,1844 -1930)

óleo sobre tela, 64 x 53cm.

 





Imagem de leitura — Inna Shirokova

12 01 2020

 

 

 

Inna Shirokova _ paintings

Autorretrato com filho, 1972

Inna Alekseyevna Shirokova (Rússia, 1937)

óleo sobre tela





Imagem de leitura — Alexander Laktionov

27 10 2019

 

 

 

Alexander Laktionov's Visiting My Grandmother, 1930,Visitando minha avó, 1966

Alexander Laktionov (Rússia, 1910 — 1972)

óleo sobre tela, 141 x 116 cm

 





Imagem de leitura: Alexander Levchenkov

11 06 2019

 

 

 

 

KONICA MINOLTA DIGITAL CAMERAContos de fadas para bebê, 2007

Alexander Levchenkov (Rússia, 1977)

óleo sobre tela, 50 x 70 cm





O escritor no museu: Fyodor Dostoevsky

27 04 2019

 

 

 

portrait-of-the-author-feodor-dostoyevsky-1872Retrato de Fyodor Dostoevsky, 1872

Vasily Perov (Rússia, 1833 – 1882)

óleo sobre tela,  99 x 80 cm

Galeria Tretyakov,  Moscou





O alce de ouro dos Citas

19 03 2019

 

 

 

Alces de ouro. Ornamento de escudo encontrado em um kurgan próximo à vila Kostromskaia, em Prikubanie. Século 6 antes de Cristo. Da coleção do Museu Estatal Hermitage.Alce de ouro,  século VI aEC.

Ornamento de escudo

encontrado em um kurgan próximo à vila Kostromskaia, em Prikubanie

Museu Hermitage

 

 

Essa descoberta arqueológica na Rússia em 2018, trouxe à tona a cultura dos citas, e dos kurgans, uma vez mais. Os citas eram nômades da antiguidade que viveram nas estepes eurasiáticas centrais e ocidentais dos séculos IX ao I antes da Era Comum. Eles deixaram muitos locais de sepultamento, conhecidos como “kurgans”, que se distribuem hoje pelo território da Rússia moderna e da Ucrânia.  Esses locais estavam repletos de objetos de ouro, que aparentemente desempenhava um papel significativo na visão de mundo dos citas e simbolizavam a vida eterna. O povo da cultura kurgan no norte do mar Negro seria o mais provável criador do idioma das línguas indo-européias  que se espalharam pela Europa, Eurásia e partes da Ásia.








%d blogueiros gostam disto: