As fantásticas girafas de Dabous!

9 03 2017

 

 

DabousGiraffeGirafas entalhadas na pedra, Dabou, Niger.

 

 

Em novembro de 1997 foram encontradas girafas entalhadas na pedra, numa região remota do deserto de Saara, conhecida como o Deserto de Tenere, que traduzido, significa o lugar onde não existe nada. O local chamado  Dabous está a meio caminho de Agadez e Arlit, no Níger e hoje dá o nome a essa arte pré-histórica. São duas girafas em tamanho natural, entalhadas por um artista anônimo, entre 9.000 a 5.000 anos atrás.  O entalhe mede cerca de 5,4 metros e é, até hoje, a maior arte rupestre animal conhecida. Elas foram encontradas por David Coulson, fotógrafo, que participava de uma expedição fotográfica ao país.  Um dos membros da expedição é o Dr. Jean Clottes, membro da Bradshaw Foundation, uma organização que se dedica à proteção e preservação desse petroglifo.

O local tem 828 outros entalhes, 704 animais (maioria bovinos) girafas, avestruzes e antílopes, uns poucos leões, rinocerontes e camelos.  Há também 61 figuras humanas e 159 desenhos indeterminados.

É ou não é sensacional?

 

map





Patrimônio Cultural da Humanidade: Timbuktu

14 11 2014

 

 

TombouctouTimbuktu ©UNESCO

 

 

Mali

 

Timbuktu

 

Local da prestigiada universidade corânica Sankore e de outras madrassas, Timbuktu era um capital intelectual e espiritual e um centro para a propagação do Islã em toda a África nos séculos XV e XVI. Suas três grandes mesquitas, Djingareyber, Sankore e Sidi Yahia, lembram a era de ouro de Timbuktu. Embora continuamente restaurados, esses monumentos estão hoje sob ameaça de desertificação.  Sitiada na entrada para o deserto do Saara, dentro dos limites da zona fértil do Sudão e em um local excepcionalmente propício perto do rio, Timbuktu é uma das cidades da África, de maior ressonância histórica no continente.

Fundada no século V, o apogeu econômico e cultural de Timbuktu surgiu nos séculos XV e XVI. Foi um importante centro para a difusão da cultura islâmica, irradiando conhecimentos vindos da Universidade de Sankore, e de  180 escolas corânicas e 25.000 alunos. Também era uma encruzilhada de rotas pelo deserto e por isso mesmo um importante mercado para o comércio de manuscritos, sal de Teghaza no norte, o ouro,gado e de grãos do sul.








%d blogueiros gostam disto: