Imagem de leitura — Ralph Heimans

18 04 2014

-

-

 

 

Ralph HeimansChão de mosaico

Ralph Heimans (Austrália, 1970)

óleo sobre tela

www.ralphheimans.com





Uma lembrança pela Semana da Páscoa

18 04 2014

-

-

Carlos Oswald,A Santa Ceia OST,60 x 73 1944 ACIDA Santa Ceia, 1944

Carlos Oswald (Brasil, [Itália], 1882-1971)

óleo sobre tela, 60 x 73 cm





Rio de Janeiro a caminho dos 450 anos!

18 04 2014

-

-

ONILD AQUINO, O Relógio – Glória – Rio de Janeiro-RJ 60 x 81 cm,OST - Ass. CIE e Dat. 1992O relógio, Glória, RJ, 1992

Onild Aquino (Brasil, 1936)

óleo sobre tela, 60 x 81 cm





Na boca do povo: escolha de provérbio popular

17 04 2014

-

-

xadrez, beijinho, namorados, jogo,-

“Ao término do jogo, rei e peão voltam para a mesma caixa”.




Imagem de leitura — Contardo Barbieri

17 04 2014

-

-

Barbieri_Contardo_Lettura_1964Leitura, 1964

Contardo Barbieri (Itália, 1900-1966)

gravura

-

Contardo Barbieri, nasceu em Pavia em 1900 formou-se pela Academia de Brera , em 1921. Pintor figurativo trouxe modernidade para a arte figurativa lombarda. Durante a década de 1920, simplificou o estilo influenciado pelo grupo italiano Novecento, onde ingressou após sua primeira exposição em Milão, em 1926. Daí por diante começou a expor regularmente; ganhou reconhecimento como principalmente de figuras femininas e belíssimas naturezas mortas. Dedicou-se também a paisagens. Foi nomeado diretor da Academia Carrara de Bérgamo, em 1931 quando desempenhou papel fundamental na renovação cultural da cidade. Faleceu em Milão em 1966.





Hoje é dia de feira: frutas e legumes frescos

16 04 2014

-

-

OSWALDO TEIXEIRA (1904-1975), Jarra, Prato e Fruteira com Uvas e Laranja Sobre a Mesa, óleo stela, 40 x 50. Assinado e datado (1933)Jarra, prato e fruteira com uvas e laranja sobre a mesa, 1933

Osvaldo Teixeira (Brasil, 1904-1975)

óleo sobre tela, 40 x 50 cm





O leão e o camundongo, poema de Olavo Bilac

16 04 2014

-

-

DoreLionForWimIlustração de Gustave Doré.

-

O leão e o camundongo

-

Olavo Bilac

-

Um camundongo humilde e pobre

Foi um dia cair nas garras de um leão.

E esse animal possante e nobre

Não o matou por compaixão.

-

Ora, tempos depois, passeando descuidoso,

Numa armadilha o leão caiu:

Urrou de raiva e dor, estorceu-se furioso…

Com todo o seu vigor as cordas não partiu.

-

Então, o mesmo fraco e pequenino rato

Chegou: viu a aflição do robusto animal,

E, não querendo ser ingrato,

Tanto as cordas roeu, que as partiu afinal…

-

Vede bem: um favor, feito aos que estão sofrendo,

Pode sempre trazer em paga outro favor.

E o mais forte de nós, do orgulho se esquecendo,

Deve aos fracos tratar com caridade e amor.

-

-

Em: Criança Brasileira: quarto livro de leitura, Theobaldo Miranda Santos, Rio de Janeiro, Agor: 1949, p.59








Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 1.832 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: