Um tesouro com 52.500 moedas romanas! Que descoberta!

30 07 2010

Um passatempo rendoso foi o que o caçador de tesouros inglês, Dave Crisp, descobriu quando encontrou, na Inglaterra, cerca de 52.500 moedas romanas, datando do século III: uma das maiores descobertas de todos os tempos na Grã-Bretanha.   O tesouro, encontrado em Abril e só agora trazido ao público, foi transferido para o Museu Britânico, em Londres, onde as moedas foram limpas e registradas, este trabalho foi feito em dois meses e representou cerca de 400 horas de trabalho para a equipe conservador.  No total seu valor deve chegar a £3.300.000 (R$ 9.075.000 ) e inclui centenas de moedas – a maioria de prata baixa ou bronze —  com a imagem de Marcus Aurelius Carausius,  imperador romano que invadiu e tomou possessão das terras na Grã-Bretanha e ao norte da França no terceiro século da nossa era.  Os arqueólogos que tiveram acesso ao achado acreditam que o tesouro, que lança luz sobre a crise econômica e coalizão do governo no século III e que ajudará a reescrever a história nos livros.

 –

Dave Crisp, um chefe de cozinha de um hospital local, e caçador de tesouros por passatempo,  usando um detector de metal localizou as moedas em abril, num campo próximo a Frome, Somerset,  na região sudoeste da Inglaterra.   As moedas haviam sido enterradas em uma grande jarra — um tipo de recipiente, normalmente usado para armazenar comida  — numa profundidade de aproximadamente 30 centímetros.  E o tesouro pesa cerca de 160 kg ao todo.  Crisp  disse que recebeu um sinal de estranho em seu detector de metais o que o levou a começar a cavar.

 

Eu coloquei minha mão dentro, tirei um pouquinho de barro e com ele veio uma pequena moeda romana de bronze – muito, muito pequeno, do tamanho da minha unha“, disse Crisp. Ele retirou cerca de 20 moedas antes de descobrir que eles estavam em um pote e, então,  percebeu que precisava de ajuda arqueológica.  “Contatei o responsável local da Divisão de Achados Históricos.   Ao longo dos anos já tive muitos achados, mas este é o meu primeiro tesouro de moedas, e foi uma experiência fascinante participar nas escavações”.

Dave Crisp fez a coisa certa.  Não tentou escavar o tesouro sozinho.  “Resistindo à tentação de desenterrar as moedas o Sr. Crisp permitiu aos arqueólogos do Somerset County Council escavarem cuidadosamente a jarra e seu conteúdo, garantindo a preservação de provas importantes sobre as circunstâncias do seu enterro”, disse Anna Booth, Liaison de Achados do Conselho de Somerset.

 —-

—-

Por causa do peso das moedas e da fragilidade da panela em que foram enterradas, o pote deve ter sido enterrado no chão antes das moedas. E ela foram então colocadas dentro dele. Isso sugere que esse tesouro não foi enterrado porque seu dono estava preocupado com uma ameaça de invasão, e  queria encontrar um lugar seguro para guardar suas riquezas, com a intenção de recuperá-lo mais tarde, em  tempos mais pacíficos.  A única maneira que alguém poderia ter recuperado este tesouro seria quebrando o pote e escavando as moedas para fora dele.  Isso teria sido difícil.  Se essa tivesse sido a intenção, então eles teriam enterrado suas moedas em recipientes pequenos, que seriam mais fáceis de se recuperar.  Pensa-se, portanto, que é mais provável que a pessoa (ou pessoas) que enterrou o tesouro confiado não tinha a intenção de voltar e recuperá-lo mais tarde.  Talvez tenha sido uma oferta de alguma comunidade agrícola para uma boa colheita ou por um clima favorável.

 —

—-

As moedas foram divididas em 67 grupos.  Cada um desses grupos foi lavado e classificado em separado e, como resultado, sabe-se, hoje, que a grande maioria (85 por cento) das moedas de Carausius, as últimas moedas no tesouro, estava em uma única camada.   Isso dá uma fascinante visão sobre como as moedas foram colocadas na jarra, como um conjunto de moedas de Carausius deve ter sido derrubado, panela abaixo e permanece separado  do resto das moedas.

O condado já iniciou um inquérito, quinta-feira, para determinar se o achado está sujeito à lei do Tesouro, um passo formal para a determinação de um preço a ser pago por qualquer instituição que deseje adquirir o tesouro.   O tesouro é um dos maiores já encontrados na Grã-Bretanha, e irá revelar mais sobre a história da nação no século III, disse Roger Bland, chefe de Antiguidades portáteis do Museu Britânico. A descoberta inclui 766 moedas com a imagem do general romano Marco Aurélio Carausius, que governou a Grã-Bretanha, em governo independente, de 286 aC a 293 dC .   Foi ele o imperador romano que governou o país até ser assassinado em 293. “O terceiro século dC, foi um momento em que a Grã-Bretanha sofreu invasões bárbaras, crises econômicas e guerras civis“, disse Bland.

 —-

—-

Roger Bland disse:  “Achamos que quem enterrou essa jarra não tinha a intenção de voltar a recuperá-la. Podemos apenas imaginar por que alguém enterraria o tesouro: poderia ser algumas economia, ou o temor de uma invasão, talvez fosse uma oferenda aos deuses.”   O domínio romano foi finalmente estabilizado quando o imperador Diocleciano formou uma coalizão com o imperador Maximiano, que durou 20 anos. Isso derrotou o regime separatista que tinha sido estabelecida na Grã-Bretanha por Carausius.

 —

—-

Esta descoberta nos traz a oportunidade de colocar Carausius no mapa escolar das crianças. Todos no país estudam sobre a Bretanha Romana há décadas, mas nunca ensinamos nada sobre Carausius,  nosso imperador britânico, perdido.”   A descoberta de moedas romanas se seguiu a uma descoberta feita no ano passado, de um tesouro de moedas anglo-saxãs na região central da Inglaterra, que ficou conhecido como o tesouro de Staffordshire  e que teve mais de 1.500 objetos, a maioria feita de ouro. 

 

 

********

Este artigo foi baseado em 3 diferentes publicações na internet:

—-

Associated PressCNN, History of the Ancient World.

 

*******

Se você entende inglês, veja o vídeo abaixo com fotos e uma entrevista com Dave Crisp numa das rádios inglesas.

 



Ações

Information

19 responses

3 01 2011
angelo

Muitoo interessante!!

3 01 2011
peregrinacultural

Pois não é, Angelo? Deve ser uma experiência extraordinaria achar um tesouro! Mesmo que fosse um tesourinho…. Rs… Obrigada pelo comentário. Volte sempre, Um abraço e Feliz Ano Novo, Ladyce

13 07 2011
felipe

eu já encontrei moedas antigas no meu quintal sinal que tem muitas lá vou começar a procurar, mas um detector ajudaria muito !!!

14 07 2011
peregrinacultural

Que sorte a sua? São de que época?

8 03 2013
Adriano Angelo

Eu sou colecionador de moedas, mas estou no começo ainda, a minha moeda mais antiga é de 1873, 200 Reis.

8 03 2013
peregrinacultural

Mas que beleza! Parabéns pela coleção e a sua moeda mais antiga já tem 130 anos! Uma beleza! Quando adicionar mais moedas volte aqui para nos contar sobre elas. :)

19 04 2013
João Batista

ADRIANO MEU PAI DEIXOU UMAS MOEDAS ANTIGAS, QUE ENTRE ELAS TEM UMA QUE ME CHAMOU A ATENÇÃO COM DESCRIÇÃO “M.AGRIPPA.LF.COS.III, TRPOTCOS, GOSTARIA DE SABER SE TEM UM VALOR.

16 05 2013
cosme

legal eu tenho algo parecido

17 05 2013
peregrinacultural

Que beleza! Cuide bem! ;)

22 05 2013
anderson

achei uma moeda de 500 réis de 1854 as margens do caminho novo, aqui em MG, fica dentro do meu cofre…rss..

23 05 2013
peregrinacultural

Guarde-a, quem sabe se não será para você como a moeda nº 1 do Tio Patinhas? Se não lhe trará sorte? Boa sorte! :)

23 05 2013
alberto rio grande do norte lgostei:-)):->tabem coleciono a minha moeda mas antiga e de 1878 de 20 reis poupado ganho

adorei

2 12 2013
José Pinto

Nos finais da década de 80 foi encontrado em Valpaços, Traz os Montes, Portugal, também em pote gigante, um achado muito parecido com este e da mesma época, mas talvez com uma quantidade de moedas superior em número e valor. Ainda tenho comigo cerca de 30 exemplares que me ofereceu um dos proprietários da zona onde foi encontrado.

2 12 2013
peregrinacultural

Puxa! Que beleza! Conheço bem Valpaços. Concelho de onde veio meu avô paterno… Na verdade ele veio de Canaveses. Você por um acaso tem as notícias da época? Nessa época — no final dos anos 80 eu estava morando em Portugal. Meu marido ensinava em Coimbra… Mande-me um foto do seu tesouro. Um abraço,

3 12 2013
José Pinto

Não compreendi de onde veio o seu avô: Valpaços ou Marco de Canaveses? é que eu moro encostado a este ultimo Concelho, na freguesia de Vila Caiz que pertence ao concelho de Amarante e fica no meio de cinco freguesias do marco de Canaveses que são: Santo Isidoro, Livração, Constance, Banho e Carvalhosa.

3 12 2013
peregrinacultural

Não foi de Marco de Canaveses, perto do Porto. Mas de Canaveses próximo a Veiga de Lilas, próximo a Valpaços. em Trás-os-montes. Veja o mapa:

http://peregrinacultural.files.wordpress.com/2013/12/canaveses.gif?w=510

27 12 2013
daniel

me diga cara como faço para achar moedas antigas perto de qual lugar perto de rios de qual lugar posso achar e me de uma dica de achar sem usar detector de metal vlw

1 01 2014
peregrinacultural

Não sei. Feliz 2014, achando alguns tesouros…

26 06 2014
marcus vinicius

que sorte a sua eu queria ter essa sorte
eu sou colecionador e sou iniciante e entao so tenho 50 moedas

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 2.124 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: